Você está em: MundoDasTribos > Bem Estar> Música alta pode afetar aprendizado e memória

Música alta pode afetar aprendizado e memória

Por Isah
Ouvir música alta afeta funções cognitivas, diz estudo. (Foto:Divulgação)

A exposição ao som alto é capaz de causar vários danos, que comprometem o bem-estar, a saúde e a qualidade de vida do indivíduo. O hábito, bastante comum entre os mais jovens, é responsável por causar deficiências auditivas, além de aumentar as chances de problemas no sistema cardiovascular e endócrino. Quem ouve música alta constantemente também convive com mais déficit de concentração, estresse e irritabilidade.

Saiba mais: Perigos do som alto para a saúde

Recentemente um estudo constatou que a música alta pode afetar o aprendizado e a memória, sobretudo de crianças.

Aprendizagem e memória comprometidas com música alta

Uma pesquisa desenvolvida pela Universidade de Buenos Aires (UBA) e publicada na revista Brain Research, revelou que ouvir música alta compromete o potencial de aprendizagem e memória. A conclusão do trabalho é muito importante, pois os adolescentes do século XXI estão se rendendo cada vez mais aos decibéis elevados, graças as novas tecnologias gadgets.

Para chegar aos resultados, o estudo argentino avaliou camundongos, com idade de 15 e 30 dias, que representa a faixa etária de 6 a 22 anos para humanos. A escolha dos animais foi justificada pelo fato de que os homens possuem sistema nervoso semelhante ao dos ratos.

Som alto causa danos nas células cerebrais. (Foto:Divulgação)

Os camundongos foram expostos a um som com intensidade entre 95 e 97 decibéis (dB), ruído bem mais agressivo do que o patamar seguro, que corresponde a (70-80 dB). Após a exposição de duas horas à música alta, os animais apresentaram danos irreversíveis nas células cerebrais. As anormalidades foram identificadas, sobretudo, na área do hipocampo, uma região do cérebro responsável pela memorização e capacidade de aprender.

Laura Guelman, coordenadora da pesquisa, acredita que os mesmos problemas cognitivos apresentados pelos ratos podem afetar as pessoas que convivem com música alta. Entretanto, é complicado provar a afirmação porque o experimento não pode ser realizado com crianças.

O estudo constatou que uma única exposição à música alta é suficiente para prejudicar o desempenho cognitivo de uma criança. Isto acontece porque o sistema nervoso se encontra em formação e, portanto, é mais sensível.

As crianças são as mais prejudicadas pelos altos decibéis. (Foto:Divulgação)

Guelman declarou que o estudo com ratos foi realizado com o ruído branco, semelhante de uma TV mal sintonizada, por isso as frequências do som foram tão agressivas a saúde cerebral. Embora as músicas não possuam a mesma gravidade, elas apresentam algumas vibrações sonoras que afetam os humanos.

Apesar do resultado do estudo necessitar de novas averiguações, os cientistas argentinos acreditam com o experimento com camundongos servem de alertas para pais e professores, que devem conscientizar as crianças a não ouvir música com volume muito elevado.

Veja também: Música alta ameaça audição de um quarto dos jovens, segundo pesquisa

Recomendado para você
Bem Estar

Clínica para dependentes químicos gratuita

Bem Estar

Planos de saúde do Banco do Brasil

Bem Estar

Vestidos de festas para gordinhas 2018: fotos, tendências

Bem Estar

Site Parque da Xuxa- SP Telefone, Preços

Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *