Job rotation: o que é

Se você tem o costume de pesquisar por informações a respeito de programas de estágio e/ou programas de trainee, certamente já deve ter se…

Se você tem o costume de pesquisar por informações a respeito de programas de estágio e/ou programas de trainee, certamente já deve ter se deparado com a expressão “job rotation”, que geralmente é citada nos detalhes sobre o desenvolvimento desses programas e os treinamentos pelos quais os estagiários e recém-formados irão passar.

Através do job rotation, um novo funcionário pode conhecer todos os setores da empresa para a qual foi contratado (Foto: Divulgação)

Por ser uma expressão estrangeira e ainda pouco conhecida no Brasil, sendo mais restrita aos profissionais que trabalham com treinamento de pessoal, como aqueles da área de recursos humanos, muita gente interessada em se candidatar às vagas de estágio e trainee fica em dúvida sobre o que é job rotation.

A expressão é originada das palavras “job”, que significa “trabalho”, e “rotation”, que em tradução livre pode ser interpretada como “rotação” ou “variação”. Ou seja, job rotation significa rotação de trabalho ou ainda variação de atividades, consistindo em um processo no qual o funcionário passa por treinamentos em diversas áreas de uma empresa, durante determinado período de tempo.

O job rotation na prática

O rodízio pelas diversas áreas da empresa pode durar de um dia ao semestre inteiro (Foto: Divulgação)

Procedimento adotado por diversas empresas, principalmente em relação aos jovens talentos (estagiários e trainees), que estão ingressando no mercado de trabalho, o job rotation possibilita ao novo funcionário conhecer todos os processos, atividades e especificidades de cada área da empresa na qual está começando.

Trata-se de uma espécie de “rodízio”, com o novo colaborador iniciando, por exemplo, no setor de RH, passando depois pelo financeiro, comercial, marketing, desenvolvimento de produtos, compras, vendas e assim por diante. Ao final da “rotação” pelos diversos setores da companhia, ele é alocado em uma das áreas pela qual passou.

Leia Também:  Trabalhe Conosco Lojas Guaibim

É importante notar que o job rotation pode acontecer durante um dia, uma semana, um mês ou durante todo um semestre, dependendo do tamanho da empresa, da sua área de atuação, dos objetivos dos treinamentos e também da capacidade de aprendizado do funcionário.

As vantagens do job rotation

Uma das vantagens do procedimento é que o funcionário conhecerá bem o seu local de trabalho e todas as suas particularidades (Foto: Divulgação)

Entre as vantagens do job rotation, vale citar que o procedimento pode colaborar para uma formação mais completa do profissional, uma vez que ele irá aprender o funcionamento de todos os setores da empresa, desempenhando as suas funções de forma mais efetiva.

Além disso, a empresa economiza tempo e dinheiro, já que os treinamentos serão realizados durante o expediente e o novo colaborador estará trabalhando enquanto aprende, evitando que ele tenha que fazer cursos separadamente, fora do local de trabalho.

Outro detalhe é que esse esquema de rodízio faz com que o funcionário obtenha uma formação diferenciada, pois terá que buscar mais informações sobre a empresa, conhecer vários tipos de procedimentos e se manter sempre atualizado.

As desvantagens do job rotation

Em compensação, ele perde a oportunidade de se especializar em uma determinada área (Foto: Divulgação)

Por outro lado, há muitas críticas em relação a esse tipo de treinamento, tanto por parte dos funcionários quanto por parte de empresários. Para eles, uma das desvantagens do job rotation é que o processo se torna bastante generalista, não permitindo uma formação específica em determinada área.

Dessa forma, ele pode acabar prejudicando o profissional, principalmente quando ele mudar de emprego, pois terá tido acesso a conhecimentos voltados apenas para o local em que trabalhava anteriormente, prejudicando a sua formação, que deveria ser pensada no mercado como um todo.

Leia Também:  Programa Trainee da Estácio 2013

Os críticos do processo também dizem que o job rotation é ruim por que sempre que o colaborador começa a se identificar e adaptar a um determinado setor, se vê obrigado a deixá-lo e iniciar treinamentos em outro área, atrapalhando o processo de aprendizado.

Top