Como identificar cosméticos que podem ser tóxicos

Alguns cosméticos fazem promessas milagrosas para recuperar a beleza da pele ou do cabelo, mas também oferecem riscos à saúde. Existem produtos que são…

Alguns cosméticos fazem promessas milagrosas para recuperar a beleza da pele ou do cabelo, mas também oferecem riscos à saúde. Existem produtos que são ricos em componentes tóxicos e por isso podem desencadear uma série de reações adversas.

As substâncias tóxicas podem causar irritações e alergias. (Foto:Divulgação)

Saiba mais: Cosméticos que as grávidas devem evitar

Os cosméticos perigosos

Os cosméticos que ameaçam o bem estar e a qualidade de vida são aqueles que possuem ingredientes perigosos. Estas substâncias, quando administradas de forma inapropriada, podem causar irritações, alergias cutâneas e até mesmo contribuir com o desenvolvimento de doenças graves, como o câncer.

Não é tão difícil encontrar um cosmético tóxico a venda, afinal, eles estão disponíveis nas lojas, perfumarias, farmácias e supermercados. No entanto, antes de comprar qualquer produto de beleza, o consumidor deve ficar atento às informações da embalagem, que mostram os ingredientes da fórmula ou oferecem orientações para o uso.

Em 2009, cientistas americanos pesquisaram as composições de batons de 20 marcas diferentes e descobriram que todas apresentavam consideráveis níveis de chumbo. Este elemento pode causar danos à saúde, interferindo no aprendizado, na linguagem e até mesmo no comportamento.

O cosmético escolhido deve ser aprovado pela Anvisa. (Foto:Divulgação)

De acordo com a Abihpec, o Brasil ocupa o terceiro lugar na participação do mercado mundial de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos. Para que um produto seja vendido legalmente, ele precisa ser aprovado pela Anvisa, que utiliza dados toxicológicos dos ingredientes para verificar se um cosmético pode ser comercializado ou não.

Dicas para identificar cosméticos tóxicos

• Leve em consideração a credibilidade da marca, ou seja, evite comprar produtos desconhecidos apenas porque eles são mais baratos;

Leia Também:  Dicas para organizar melhor o seu tempo

• Se a marca for nova no mercado, o seu rótulo deve apresentar alguns dados básicos, como CNPJ, endereço, nome do farmacêutico responsável e telefone do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC);

• Os produtos anti-idade (classificados como grau II) devem ter, obrigatoriamente, registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa);

O rótulo do produto deve ser lido com atenção antes da compra. (Foto:Divulgação)

Cosméticos voltados para hidratação, limpeza e desodorização (grau I) necessitam somente de notificação da Anvisa. Já os produtos que prometem minimizar queda de cabelo, rugas e celulites (grau II) precisam ser avaliados por uma equipe técnica da agência, pois podem não cumprir com a promessa da embalagem. O cosmético que recebe o registro tem a garantia da Anvisa de que realmente funciona;

• Na hora de ler o rótulo do produto, é importante avaliar se ele tem algum ingrediente que oferece risco à saúde. As substâncias perigosas são: formol, parabenos, propilenoglicol, amarelo tartazina, etoxilado, filtros solares químicos, óleo mineral, ftalatos, aminas aromáticas, ureia e nicotinato de metila;

• A mulher que está grávida deve ler as embalagens com cuidados redobrados para evitar o uso de produtos com componentes perigosos.

Veja também: Cosméticos que podem ser usados durante gravidez

Top