Proibição de formol nos cabelos – Como saber

O uso de formol para alisar o cabelo pode sair caro para a saúde de quem ainda usa esta técnica

Sempre em busca de melhorar o visual, muitas mulheres procuram os salões de beleza para alisar os cabelos, deixando-os com muito brilho, cheios de movimento e sem volume. O problema é que na maioria dos casos, para ter o cabelo perfeito, os profissionais do ramo utilizam produtos químicos muito perigosos para a saúde, como é o caso do formol.

O formaldeído, como também é conhecido o composto, é utilizado em vários segmentos. No ramo da estética, ele tem as funções de conservar produtos de higiene pessoal e cosméticos, aumentando a sua durabilidade. Quando utilizado para o alisamento das madeixas, a sua função é deixá-las bastante lisas, mas de acordo com especialistas, a beleza é apenas aparente, já que os fios ficam quebrados e com as pontas duplicadas.

Desde 2009, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a exposição e a venda do formol em concentrações superiores a 0,2%, devido aos efeitos nocivos do produto. Para se ter uma ideia, a concentração usada nos produtos capilares era de 37%, bem acima do permitido.

Perigos do formol

Entre outros efeitos, o formol pode estragar bastante o cabelo

De acordo com a Anvisa, em concentrações superiores a 0,2%, o uso do formol pode causar queda de cabelos, queimaduras, coceiras, irritações, ardências e até mesmo câncer, em casos mais crônicos. Além disso, fazem parte da lista de efeitos à exposição do formol, as dores de cabeça, falta de ar, vertigem, irritação nas mucosas, nariz e olhos. Devido ao forte cheiro, edema pulmonar e irritação no trato respiratório também podem aparecer. Em alguns estabelecimentos, costuma-se misturar outros produtos para disfarçar o odor, por isso é preciso ficar atento.

É bom ressaltar que tanto a pessoa que tem o cabelo alisado por essa técnica quanto o cabeleireiro estão sujeitos aos efeitos citados acima, que podem ficar ainda mais fortes dependendo do tempo de exposição ao produto. Contudo, mesmo com a proibição, alguns profissionais ainda insistem no uso do formol. Portanto, se lhe oferecem um alisamento no cabelo, à base de formol, pense bem antes de aceitar, pois pode ser prejudicial à sua saúde.

Alternativas

Novas técnicas de alisamento, menos agressivas, já estão disponíveis

Para as mulheres que querem manter o cabelo bem lisinho, existem algumas alternativas bem menos agressivas que o formol. Novos tipos de cosméticos têm surgido, prometendo reduzir ou até mesmo não trazer nenhum risco à saúde. Algumas das alternativas são os alisamentos à base de hidróxido de cálcio, tioglicolato de amônio e guanidina. Há também o realinhamento térmico, uma escova progressiva sem formol, que utiliza a carbocysteína para o alisamento temporário dos fios.

Veja com um cabeleireiro de confiança qual a técnica mais adequada para o seu cabelo, sem se esquecer de conferir se há riscos para a saúde.

Anvisa

Para saber se o produto que você deseja utilizar é permitido pela Anvisa, clique aqui para acessar a resolução RDC nº 79/2000, que contém uma lista de tudo o que é permitido e proibido em relação aos produtos de higiene pessoal, perfumes e cosméticos.

Reply