Processo de impeachment de Dilma é aprovado

O Processo de impeachment de Dilma é aprovado! Depois de muitos pedidos realizados pelos partidos de oposição e também pelos manifestos nas ruas, o…

O Processo de impeachment de Dilma é aprovado! Depois de muitos pedidos realizados pelos partidos de oposição e também pelos manifestos nas ruas, o presidente da câmara Eduardo Cunha finalmente resolveu acolher as denúncias de crime de responsabilidade da presidente da república.

Processo de impeachment de Dilma é aprovado. (Foto Ilustrativa)

Processo de impeachment de Dilma é aprovado. (Foto Ilustrativa)

Cunha vai investigar as acusações de corrupção contra o governo de Dilma Rousseff. O impeachment, por sua vez, só acontecerá se a presidenta for de fato for responsabilizada por atos ilícitos no seu atual mandato.

Leia mais: Site para coletar assinaturas pró-impeachment

Processo de impeachment de Dilma é aprovado

O Processo de impeachment de Dilma é aprovado. Após essa decisão, tomada pelo presidente da câmara, será criada uma comissão especial para analisar o pedido e estudar as acusações contra o atual governo. A bancada contará com deputados de todos os partidos.

Assim que a comissão for instalada oficialmente, Dilma Rousseff terá o prazo de 10 sessões para se manifestar. Após ouvir a defesa, a bancada terá mais 5 sessões para realizar uma votação e redigir um relatório final. É com base nesse documento que será instaurado (ou não) o processo de impeachment.

O governo de Dilma será alvo de investigações. (Foto Ilustrativa)

O governo de Dilma será alvo de investigações. (Foto Ilustrativa)

Depois que o relatório for publicado, os deputados terão que votar. Pelo menos 342 parlamentares precisam se manifestar e assumir uma posição. Se acontecer a abertura do processo, Dilma terá que se afastar por 180 dias, até que o senado conclua o seu julgamento.

A sessão que decidirá o impeachment será presidida pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF). Para que a presidente seja condenada, pelo menos 54 senadores devem votar a favor do processo.

Leia Também:  Sequestros de crianças e adolescentes mais famosos

Saiba mais: Dilma Rousseff é eleita presidente do Brasil no 2º turno das eleições 2015

Caso o impeachment seja validado pelos parlamentares da sessão do STF, Dilma será destituída do poder e quem assumirá o cargo de presidente da república é o vice Michel Temer. Por outro lado, se acontecer a absolvição, a petista reassumirá o mandato imediatamente.

Como o processo começou?

Eduardo Cunha vai iniciar as investigações sobre as pedaladas fiscais. (Foto Ilustrativa)

Eduardo Cunha vai iniciar as investigações sobre as pedaladas fiscais. (Foto Ilustrativa)

Nessa quarta-feira (02), Eduardo Cunha resolveu dar início ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, acolhendo o pedido do jurista Hélio Bicudo, um dos fundadores do PT. A decisão foi tomada pelo parlamentar após vários requerimentos e manifestações.

Bicudo entregou o pedido de impeachment no dia 21 de outubro. O parlamentar da oposição pede para que Cunha investigue as pedaladas fiscais do atual governo em 2015, ou seja, o atraso de repasse de verba para os bancos públicos para que assim a meta de previsão orçamentária fosse cumprida. A tese das pedaladas é sustentada por decretos, assinados por Dilma Rousseff.

Veja também: Entenda as trocas de ministros do governo Dilma

O processo de impeachment de Dilma é aprovado, mas vale lembrar que Eduardo Cunha já barrou outros pedidos realizados pela oposição. Agora, caberá ao presidente da câmara analisar as acusações juntamente com a sua comissão especial para o caso.

 

Top