Na raça, Corinthians vence o Cruzeiro em Minas e permanece na liderança

Na base da raça e da superação. Assim pode ser classificada a vitória do líder Corinthians para cima do Cruzeiro por 1 a 0,…

Gol de Paulinho garante a vitória contra o Cruzeiro e a liderança para o Corinthians

Na base da raça e da superação. Assim pode ser classificada a vitória do líder Corinthians para cima do Cruzeiro por 1 a 0, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. Em partida bastante equilibrada, o Timão aproveitou melhor suas chances e garantiu a vitória graças à eficiência do volante Paulinho, que apareceu de surpresa na área e marcou o único gol do jogo. No fim, Montillo ainda cobrou um pênalti para fora e Julio César salvou o Timão em cabeçada de Anselmo Ramon.

Com a vitória o Timão mantém a ponta do Brasileirão, com 54 pontos. Já o Cruzeiro chegou ao 11º jogo sem vitória.

Equilíbrio deu o tom da etapa inicial

A partida em Sete Lagoas começou bastante disputada e travada no meio de campo, com as duas equipes tento problemas para trabalhar jogadas de ataque pelo meio. Diante da boa marcação, somente na bola parada o Corinthians chegou pela primeira vez aos sete. Alex cruzou na área, Liedson cabeceou e a bola passou rente à trave do gol de Fábio.

Aos poucos, as duas equipes começavam a encontrar espaços nas zagas adversárias. Aos 15, o Cruzeiro teve uma boa oportunidade para abrir o marcador. O volante Fabricio pegou rebote da entrada da área e arriscou, mas Julio César bem colocado espalmou para escanteio.

Cinco minutos depois a Raposa assustou novamente. Everton recebeu lançamento dentro da área, cruzou e Wellington Paulista, de carrinho, mandou a bola por cima do gol.

A resposta corintiana veio aos 29 minutos. Depois de envolvente troca de passes entre Danilo e William, a bola sobrou para o atacante na entrada da área, que finalizou colocado para defesa de Fábio. Três minutos mais tarde, o Timão teve tudo para abrir o placar, mas parou no goleiro Fábio. Alex cobrou escanteio na área, Paulo André subiu mais que todo mundo e cabeceou com força, mas Fábio afastou o perigo.

Continuar Lendo  Uniforme do Atlético PR 2012-2013

Aos 46, Keirrison desperdiçou chance clara de gol. Montillo puxou rápido contra-ataque e deu um passe açucarado para Keirrison, que se enrolou com a bola e não finalizou e nem devolveu a bola para o meia argentino. O lance irritou tanto a torcida cruzeirense, que os torcedores passaram a pedir a sápida de Keirrison do jogo.

Dois minutos mais tarde ainda deu tempo de William do Corinthians arrancar pelo lado direito, fintar o zagueiro e cruzar nas mãos de Fábio.

Paulinho marca para o Timão e Montillo perde pênalti

Cruzeirenses e corintianos continuavam disputando uma partida equilibrada na Arena do Jacaré. Porém, por conta da quantidade excessiva de passes errados, os dois times encontravam dificuldades em reverter a posse de bola em chances claras de gol.

Aos poucos, o time celeste começou a encaixar algumas jogadas ofensivas e na base da velocidade incomodava os zagueiros corintianos, principalmente com o meia Montillo e o lateral Diego Renan. Já o Corinthians abusava das investidas de Alex pelo lado esquerdo.

Apenas aos 14 minutos, a Raposa chegou com perigo. Montillo levantou a bola na área e Victorino cabeceou para fora.

Apesar de o Cruzeiro estar com maior volume de jogo, foi o Corinthians quem abriu o placar. Em rápido contra-ataque, a bola chegou a Alex pelo lado esquerdo. O meia invadiu a área, fintou o zagueiro e rolou para Paulinho finalizar com precisão no canto esquerdo baixo do gol de Fábio: 1 a 0 Timão.

Em desvantagem, o Cruzeiro se lançou ao ataque e desperdiçou a melhor chance do jogo. Em lance discutível dentro da área, o árbitro anotou pênalti para os mineiros. Na cobrança, Montillo isolou a bola por cima do gol e perdeu a oportunidade de igualar o marcador.

Aos 41, o Corinthians assustou com Alex. O meia invadiu a área e finalizou forte, mas a bola foi para a linha de fundo.

Continuar Lendo  Especialista na posição, Leão elogia a atuação do goleiro Denis contra o Vasco

Desesperado em busca do gol de empate, o Cruzeiro quase marcou aos 43. Wellington Paulista cruzou, Anselmo Ramon, na pequena área, cabeceou e parou nas mãos salvadoras de Julio César.

Top