Ligamento Cruzado Anterior: conheça a lesão que mais assombra os clubes de futebol

Ligamento Cruzado Anterior: conheça a lesão que mais assombra os clubes de futebol

O rompimento do Ligamento Cruzado Anterior do joelho é a lesão cirúrgica mais comum em esportes que envolvem contato físico e mudanças de direção…

Por Lucas em 03/07/2020

O rompimento do Ligamento Cruzado Anterior do joelho é a lesão cirúrgica mais comum em esportes que envolvem contato físico e mudanças de direção frequentes. No Brasil, o futebol é, sem dúvidas, o maior responsável por estas lesões, ainda que seja comum nos esportes de luta, basquete, handebol e outros esportes de quadra. Tanto atletas profissionais como recreativos estão sob risco para esta lesão.

Na maior parte das vezes o ligamento se rompe quando o atleta fica com o pé preso ao solo e gira o corpo sobre o joelho. A dor na maior parte das vezes impede a continuidade no treino ou jogo. O atleta pode ainda referir um estalido, com a sensação de uma corda se rompendo. Devido ao sangramento que ocorre a partir do ligamento rompido, o joelho tende a ficar inchado.

Uma vez rompido, o Ligamento Cruzado Anterior não cicatriza mais. Para recuperar a estabilidade e a confiança no joelho, o atleta precisará de uma cirurgia para refazer o ligamento. Ainda que algumas pessoas sejam capazes até mesmo de jogar futebol com o ligamento rompido, o risco de novas torções ou de lesões associadas, no médio e longo prazo, será alto. Em decorrências destas novas torções, outras estruturas poderão ser lesionadas secundariamente, tornando o resultado da cirurgia mais incerto. Assim, ao se considerar não operar o joelho, é importante que os eventuais riscos sejam esclarecidos pelo ortopedista especialista em joelho.

Como é feita a cirurgia?

Ligamento Cruzado Anterior

Ligamento Cruzado Anterior

A cirurgia busca substituir o Ligamento Cruzado Anterior rompido (que não cicatriza mais) por um enxerto. Os mais utilizados são os tendões flexores (Semi tendinoso e Gracil), retirados da parte interna do joelho, e a parte central do tendão patelar, retirado da parte da frente do joelho. 

O passo seguinte é a artroscopia, procedimento em que uma microcâmera é introduzida dentro do joelho, permitindo a visualização das cartilagens, dos meniscos e dos ligamentos. Neste momento, os remanescentes do ligamento rompido são retirados e eventuais lesões associadas também são tratadas.

Ainda sob visualização artroscópica, é realizado um furo nos ossos onde ficava o ligamento rompido e o enxerto é introduzido por dentro destes furos, substituindo o ligamento que se rompeu. O ligamento deve ser fixado ao osso tanto no fêmur como na tíbia, sendo que diversos métodos de fixação estão disponíveis para isso.

Recuperação após a cirurgia

A reabilitação pós-operatória é fundamental para que se consiga um bom resultado após a cirurgia. Deixando a fisioterapia de lado, a tendência é que o paciente apresente uma perda significativa da força e da função da musculatura. Sem a musculatura, o ligamento é sobrecarregado e a probabilidade de uma nova lesão torna-se elevada.

A reabilitação pode ser dividida nas seguintes etapas:

  1. Primeiro mês: Recuperação do edema e da mobilidade do joelho, voltar a caminhar normalmente sem muletas;
  2. Segundo ao quarto mês: Fortalecimento muscular
  3. Quinto ao sexto mês: Recuperação da função do joelho (saltos, aceleração e desaceleração. Agachamentos)
  4. Sétimo e oitavo mês: Treino do gesto esportivo
  5. Nono mês: Retorno esportivo gradual

Estes tempos devem ser considerados apenas como referência, mas podem ser alterados de acordo com fatores como as condições da musculatura antes da cirurgia, a qualidade da reabilitação e a resposta individual à cirurgia.

Retorno esportivo

Os critérios para retorno ao esporte após a cirurgia de reconstrução do Ligamento Cruzado Anterior mudaram bastante nos últimos anos, sendo um dos assuntos mais discutidos na cirurgia do joelho atualmente. Por muito tempo se falou nos protocolos acelerados de reabilitação, mas frente aos riscos para novas lesões e queda no desempenho sem uma recuperação completa, a tendência é que o retorno seja retardado para aproximadamente nove meses, podendo em alguns casos ser estendido para além de um ano. 

O retorno depende muito mais de critérios objetivos de avaliação do que a um tempo específico. Isso acontecerá quando o paciente tiver um bom equilíbrio de força, bom equilíbrio em testes funcionais e quando questionários subjetivos específicos demonstrarem que o paciente “tem confiança” no joelho.

Resultado da cirurgia de reconstrução do Ligamento Cruzado Anterior

O prognóstico depende de fatores como o esporte praticado, nível de prática esportiva, presença de eventuais lesões associadas em outros ligamentos, cartilagem articular ou meniscos e idade do paciente.

Aproximadamente 80% dos pacientes atleticamente ativos antes da lesão retornam ao esporte em até um ano após a cirurgia, sendo que 65% retornam no mesmo nível do que antes da lesão e 55% retornam ao esporte competitivo. No caso de atletas profissionais com lesão isolada do Ligamento Cruzado Anterior, o retorno pode chegar a mais de 90%.

Ainda que a maior parte dos atletas sejam capazes de retomar a prática esportiva, os resultados insatisfatórios são relativamente comuns mesmo após uma cirurgia tecnicamente bem realizada. A reabilitação pós operatória inadequada é, certamente, um dos principais motivos para isso. 

Dr. João Hollanda

O dr. João Hollanda é médico ortopedista especialista em cirurgia do joelho e médico da Seleção Brasileira de Futebol Feminino.

Top