Como identificar médicos não capacitados para cirurgias plásticas

As cirurgias plásticas têm se tornado bastante populares no Brasil devido à facilidade de acesso às intervenções estéticas e ao número de crescente de…

As cirurgias plásticas têm se tornado bastante populares no Brasil devido à facilidade de acesso às intervenções estéticas e ao número de crescente de profissionais da área. Entretanto, é muito importante ressaltar que, quando o assunto é plástica, o mais importante não é o preço e sim a qualidade do profissional, pois muitas pessoas estão colocando a vida em risco ao escolherem médicos despreparados. Saiba mais sobre o assunto e confira dicas de como identificar médicos não capacitados para cirurgias plásticas.

Veja dicas de como garantir a segurança na cirurgia plástica.

A cirurgia plástica é cada vez mais comum. (Foto: divulgação)

Profissionais sem o título de especialista

A quantidade de cirurgias plásticas realizadas no Brasil aumenta a cada ano. Infelizmente, o número de complicações cirúrgicas divulgadas na mídia aumenta proporcionalmente, deixando muitas pessoas com medo. Um dado realmente alarmante e que a maioria dos pacientes desconhece foi levantado em 2008, pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), o qual constatou que 97% de todos os médicos que respondiam a processos perante o órgão não possuíam o título de especialista em cirurgia plástica.

Enquanto que para se tornar especialista o médico precisa realizar, no mínimo, mais 5 anos de residência depois de se formar em medicina e ainda passar por uma prova que avalia sua competência na área, os médicos que fazem plástica sem o título de especialistas muitas vezes não possuem as condições mínimas para realizar procedimentos estéticos. Isso não garante que o profissional devidamente legalizado não cometa erros, mas a probabilidade de que isso aconteça é muito menor.

É preciso ficar atento a alguns sinais que podem levantar suspeitas do cirurgião. (Foto: divulgação)

Como identificar profissionais não capacitados

Para não cair em armadilhas e acabar colocando a vida nas mãos de médicos desqualificados é preciso seguir algumas dicas que ajudam a identificar situações de risco. Saiba quando desconfiar do cirurgião plástico:

  • Preços muito abaixo aos do mercado;
  • Cirurgiões que participam de consórcio para cirurgia plástica, onde geralmente a intervenção é feita pelo médico indicado no programa e não pelo profissional escolhido pelo paciente;
  • Médicos que realizam cirurgias em ambientes inadequados, como nos próprios consultórios. É de fundamental importância que toda e qualquer cirurgia plástica seja feita em um centro cirúrgico, com o equipamento necessário para oferecer total segurança caso ocorram intercorrências;
  • Profissionais que não apresentam fotos com o resultado cirúrgico de outras pacientes.
Leia Também:  Valle Nevado Ski Resort no Chile

O que fazer quando um profissional é suspeito

  • A primeira coisa a ser feita, caso um profissional seja suspeito, é conferir se o mesmo possui o título de especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. A consulta pode ser feita pelo site oficial da organização (www.cirurgiaplastica.org.br);
  • Procurar o Conselho Regional de Medicina (CRM) local, a fim de conferir se o cirurgião responde por algum processo ético-profissional;
  • Conversar com pacientes que foram operadas pelo médico, para conferir o grau de satisfação com os resultados;
  • Denunciar ao CRM os casos de profissionais que realizam os procedimentos para os quais não estão habilitados.

Saiba quais são as melhores clínicas de cirurgia plástica do Brasil.

Vale a pena conferir se o profissional possui o título de especialista pela SBCP. (Foto: divulgação)

A cirurgia plástica tem se tornado cada vez mais popular no Brasil. Infelizmente, o número de profissionais que realizam esse tipo de procedimento sem possuir a devida capacitação é surpreendentemente grande, e coloca em risco a vida de muitos pacientes. É muito importante ficar atento a alguns sinais que indicam a desqualificação do médico e tomar as devidas precauções, para não cair em nenhum tipo de armadilha.

Top