Como escolher curso extracurricular para o filho

Estamos próximos do fim do ano – período em que os filhos podem descansar -. Porém, esta também é a época ideal para escolher curso extracurricular para o filho, já que tal decisão deve ser conversada com a criança ou o adolescente, com calma e com base em seus reais interesses. Saiba como fazê-lo.

Cursos diferentes tiram as crianças da rotina e ajudam a desenvolver novas habilidades (Foto: Divulgação)

Por que escolher curso extracurricular para o filho?

Há país que não atentam para a importância dos cursos extracurriculares. Por melhor que seja a escolha do seu filho, sempre haverá atividades que ela não oferece e pelas quais a criança ou o adolescente tenha verdadeiro interesse. A variabilidade na aprendizagem permite ao indivíduo desenvolver habilidades igualmente diferentes – o que é ótimo para sistema cognitivo e para o futuro da criança.

Outro motivo importante está nas relações sociais do indivíduo. Com cursos extracurriculares diferentes, além de o seu filho desenvolver novas habilidades, também fará novas amizades. Finalmente, frequentar cursos diferentes evitará que a criança fique ociosa, fora do horário de aula, utilizando todo o tempo livre em frente à Tv ou ao computador – o que não é proibido, mas deve ser regrado.

Horários devem ser regrados, porém sem sobrecarregar a criança (Foto:Divulgação)

Como escolher os cursos

Primeiramente, é preciso que os pais saibam quais as reais necessidades do filho, antes da escolha. Aqui, fala-se não apenas em escolher cursos lúdicos, mas também aulas de reforço, se este for o caso. Conhecer as demandas é primordial.

A opção por cursos lúdicos também deve ser discutida com os filhos. Não é porque você sempre sonhou aprender tocar piano, que seu filho (a) também o deseja. Pode ser que ele prefira tocar guitarra. Deixe que a criança ou o adolescente apresente seus argumentos. Porém, esclareça que ele terá um compromisso com isso, durante algum tempo, como se fosse um adulto.

Adolescentes também devem realizar atividades prazerosas e úteis, mas sempre com tempo reservado ao relaxamento (Foto: Divulgação)

Qualquer que seja a escolha, os pais devem acompanhar a evolução do filho nos cursos, sejam eles lúdicos ou para uma necessidade específica dele (como as aulas de reforço, por exemplo). Conversas constantes com os professores são importantes. Assim, verifica-se qual tem sido o desempenho da criança ou se as atividades não têm sido demais para ela.

Muitos pais precisam trabalhar e, por isso, passam pouco tempo com seus filhos. Alguns deles, na ânsia de cuidarem, à distância, julgam que a melhor forma para isso é matricular a criança em inúmeros cursos, fazendo com que todo o tempo dela fique ocupado. É um grande erro sobrecarregá-la. Isso pode, inclusive, desencadear o stress infantil. A criança ou o adolescente, tal como os adultos, necessitam de um tempo de descanso, para que possam realizar atividades que bem entenderem.

Reply