Comer um ovo por dia faz bem para à saúde, diz pesquisa

Existe uma certa confusão cientifica quando o assunto é alimentação. Vilões do cardápio saudável passam a ser mocinhos do dia para a noite, basta…

Existe uma certa confusão cientifica quando o assunto é alimentação. Vilões do cardápio saudável passam a ser mocinhos do dia para a noite, basta sair novas pesquisas cientificas apontado benefícios nos lugares de malefícios. O ovo, por exemplo, chegou a ser quase que proibido para hipertensos e cardíacos por conta da quantidade do colesterol que possui em sua gema, no entanto, novas análises apontam que os apaixonados por essa comida podem ficar tranquilos com relação aos impactos na saúde. Uma nova análise acrescenta uma evidência de que a gema do ovo não faz esse mal imaginado anteriormente. O levantamento sugere que, para a maioria das pessoas, ingerir um ovo por dia não faz mal para o coração.

Leia mais sobre: Alimentos que fazem bem ou mal ao cérebro

 

Comer ovos com moderação faz bem à saúde (Foto: Divulgação)

Dinâmica da pesquisa que avalia benefícios do ovo

Para saber se de fato o ovo faz bem ou mal para a saúde os pesquisadores revisaram oito estudos com 263.938 participantes e reuniram as informações para análise. Durantes essas análises não foi encontrada nenhuma evidência de que comer até um ovo por dia aumente o risco de doença cardíaca ou derrame. Os resultados desses levantamentos foram os mesmos para homens e mulheres de todas as faixas etárias.

Ovos fazem mal para diabéticos (Foto: Divulgação)

Ovo faz bem, menos para diabéticos

Os diabéticos foram a única exceção quando o assunto são os benefícios do consumo de um ovo diário. Para esse grupo, comer ovos demais foi associado a um aumento do risco de doenças cardíacas e a um risco de acidente vascular cerebral hemorrágico. No entanto, poucos voluntários eram diabéticos nos estudos para que conclusões confiáveis fossem tiradas.

Continuar Lendo  Mitos e verdades sobre o DIU

Saiba mais sobre: Alimentos que fazem bem para a pele

Os autores das pesquisas, que escreveram no periódico BMJ, reconhecem que informações autorrelatadas sobre a ingestão de alimentos nem sempre são confiáveis e que a maioria dos estudos desse tipo não tinha informações sobre os métodos de cozimento dos itens, o que pode ter afetado os resultados apontados com relação aos benefícios e malefícios dos ovos. Um coautor da pesquisa, Dr. Frank B. Hu, professor de nutrição e epidemiologia na Universidade de Harvard, falou que ingerir dois, três ou mais ovos por dia pode ser prejudicial, em teoria, à saúde embora não haja informações que comprovem esse argumento.

Top