Como escolher o gramado do jardim

PUBLICIDADE CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
A escolha da grama vai muito além do aspecto visual.

A grama é responsável por contribuir com a beleza do jardim, tornando o espaço mais bonito e charmoso. No entanto, as pessoas costumam ficar em dúvida na hora de escolher a espécie ideal para cultivar e consequentemente enriquecer o projeto paisagístico da área.

Vários fatores precisam ser levados em conta para não cometer erros na hora de plantar grama no jardim, como é o caso das condições do ambiente. As adversidades climáticas afetam as plantas, interferindo tanto na beleza como na saúde do gramado. Desta forma, é fundamental avaliar as necessidades de cada espécie de grama, ou seja, se seu cultivo deve acontecer em áreas sombreadas, meia sombra ou sol pleno.

Quem possui gramado na parte externa da casa precisa ter tempo para cuidar da grama, caso contrário o visual do jardim fica comprometido. A manutenção normalmente requer regas, adubo e podas regulares. O morador responsável pelo jardim também precisa verificar se a grama possui capacidade de enraizamento e resistência às pragas e ervas daninha.

PUBLICIDADE CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
é necessário ter cuidados periódicos com a manutenção da grama.

A maior parte das espécies de grama necessita de luz solar direta para sobreviver. No entanto, as gramas que apresentam mais resistência podem ser cultivadas tranquilamente na sombra. A escolha por um tipo de gramado mais resistente também é viável para as casas com animais de estimação e crianças, afinal, a cobertura do solo precisa suportar o grande tráfego no jardim residencial.

Muitos acabam definindo o tipo de grama ideal por uma questão estética, considerando qual gramado tem um efeito mais bonito no paisagismo do jardim. A variedade de gramas exibe espécies com diferentes tons de verde, comprimento e textura das folhas. Porém, é importante fazer a escolha indo além do aspecto visual.

Principais tipos de gramado

Grama São Carlos: é uma espécie indicada para sol pleno ou meia sombra, sendo caracterizada pelas folhas largas e lisas que exibem um verde intenso. A planta se revela perfeita para compor um jardim residencial, criando uma superfície macia e convidativa.

Grama Santo Agostinho: as folhas possuem uma coloração verde escuro, além do que são médias e lisas. O plantio deste gramado é indicado para áreas com sol pleno e podem servir principalmente para o jardim de uma casa de praia, devido a sua resistência a salinidade.

A maior parte das espécies de grama prefere áreas com sol pleno.

Grama Esmeralda: este tipo de grama é capaz de formar um verdadeiro tapete na cor verde-esmeralda, deixando o jardim mais charmoso e sofisticado. Tal como tantas outras espécies, também requer sol pleno para se desenvolver.

Grama Bermudas: aparecem não só no revestimento horizontal de jardins, mas também nos campos de futebol e golfe. As folhas da grama são finas, mas apresentam alta resistência para tráfego.

PUBLICIDADE CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Grama coreana: requer um solo fértil para o cultivo, ou seja, adubação com certa frequência. O gramado é macio e rasteiro, além do que, exibe uma belíssima coloração de verde intenso.

Grama batatais: exibe a cor verde-claro e costuma aparecer com frequência no paisagismo de parques esportivos. Além da coloração mais clara, a espécie também é caracterizada por formar um gramado denso, baixo e capaz de suportar as secas.

Agora que você já conhece os tipos de grama mais usados, monte o melhor gramado para o seu jardim.

Leia também:

Comentários fechados

Os comentários desse post foram encerrados.