Cicatrizes: como tratar

O tratamento adequado das cicatrizes é fundamental após qualquer intervenção cirúrgica, especialmente as estéticas, ou mesmo depois de acidentes que resultam em lesão na…

O tratamento adequado das cicatrizes é fundamental após qualquer intervenção cirúrgica, especialmente as estéticas, ou mesmo depois de acidentes que resultam em lesão na pele. O objetivo maior é evitar um resultado final demasiadamente indiscreto, além de prevenir outros problemas cicatriciais, como queloide e cicatriz hipertrófica.

Os cuidados adequados garantem resultados satisfatórios. (Foto: divulgação)

Com o avanço da medicina estética, surgiram várias ferramentas para prevenir e resolver essas temidas marcas. É importante salientar que não é possível eliminar completamente a cicatriz, pois o tecido substituído nunca será completamente igual ao anterior. Contudo, é possível obter resultados muito satisfatórios. Saiba mais sobre o assunto e confira dicas de como tratar cicatrizes.

Entenda mais sobre o processo cicatricial e saiba como prevenir cicatrizes indiscretas.

Novas técnicas de tratamento

De acordo com os médicos especialistas em estética, o surgimento de técnicas como betaterapia, laser e preenchimento ajudou a complementar o resultado de tratamentos já consagrados, como a realização de massagem com cremes especiais e utilização de placas de silicone. Pessoas que se submetem ao tratamento podem obter cicatrizes muito finas e praticamente imperceptíveis.

Confira como funciona a betaterapia para remover cicatrizes.

A queloide é um dos piores problemas cicatriciais. (Foto: divulgação)

Tratamentos indicados de acordo com o tipo de cicatriz

Apesar de a maioria das cicatrizes melhorarem até 90% com técnicas de dermoabrasão e peeling, as mais profundas apresentam melhora de apenas 60%. Nessas situações a solução é combinar duas ou mais técnicas. Confira as indicações de tratamento de acordo com o tipo de cicatriz:

  • Cicatriz cirúrgica

Eventuais manchas escuras podem ser resolvidas com aplicação de ácido retinóico ou uso contínuo de cremes clareadores. Se houver manchas esbranquiçadas, o tratamento é mais complicado e uma opção, que surgiu recentemente, é a realização de tatuagens especiais que igualam o tom da pele, e que deve ser feita apenas por um médico.

  • Cicatriz por ferimentos
Leia Também:  Síndrome de Crouzon: o que é?

Se houver alteração do relevo da pele, é recomendado o preenchimento com gordura, ácido hialurônico ou colágeno. O peeling de ATA ajuda a suavizar as manchas acastanhadas que surgem no local. Nas situações em que há fibrose cicatricial, as intervenções costumam não surtir os efeitos desejados e a região pode continuar endurecida e esbranquiçada.

Entenda como funciona o tratamento para queloide.

  • Cicatriz por queimadura

Em caso de queimaduras extensas e profundas, apenas a cirurgia plástica é capaz de amenizar o problema em até 70%, com a realização de enxertos que devolvem, gradativamente, a elasticidade da pele. O número de intervenções pode variar de acordo com o tamanho da área atingida. As manchas escuras podem ser clareadas com o uso de hidroquinona e a prevenção de queloides é feita com infiltração de corticoide.

Saiba quando custa uma cirurgia reparadora de cicatriz.

Com os devidos cuidados é possível obter cicatrizes discretas e quase imperceptíveis. (Foto: divulgação)

As cicatrizes constituem uma preocupação bastante frequente, especialmente em pacientes submetidos a intervenções estéticas, e não podem ser evitadas. Contudo, é possível prevenir problemas no processo cicatricial e garantir uma cicatriz bem discreta e quase imperceptível.

Top