Anticoncepcional: cuidados, riscos à saúde

  O anticoncepcional trouxe liberdade para as mulheres. Com a modernidade, as mulheres passaram a colaborar com a renda familiar. Cada vez mais, elas…

 

O anticoncepcional trouxe liberdade para as mulheres.

Com a modernidade, as mulheres passaram a colaborar com a renda familiar. Cada vez mais, elas ocupam vagas de empregos, deixando para segundo plano a vida doméstica. Devido a isso, o planejamento familiar se tornou algo essencial em suas vidas. E, assim passaram a buscar meios para postergar a maternidade. Conheça um pouco mais sobre alguns cuidados e alguns riscos que o anticoncepcional pode trazer à vida da mulher.

Mundialmente consumido

Os anticoncepcionais orais, ou a pílula, provavelmente é o método de contracepção mais utilizado pelas mulheres na atualidade. Dados mostram que em torno de 90 milhões de mulheres fazem uso desse medicamento em todo o mundo. Com esse grande número de usuárias, não é de se estranhar que até hoje existem pesquisas em relação ao seu efeito. Veja também: Pílulas anticoncepcionais para homens.

O acompanhamento médico é indispensável

Infelizmente, nenhum método contraceptivo é isento de riscos. Porém, é preciso “colocar na balança” os riscos e benefícios que esse tipo de medicação apresenta. Assim, para prevenir as possíveis consequências é ideal que exista um bom acompanhamento médico.

Conhecendo as precauções

Conheça as possíveis situações que devem ser discutidas com o médico especialista antes de iniciar o uso do método contraceptivo oral.

  • Tromboflebite ou distúrbios de coagulação;
  • História de acidente vascular cerebral;
  • História de doença arterial coronariana;
  • História de infarto;
  • Portadora de insuficiência cardíaca;
  • Portadora de insuficiência renal;
  • Antecedentes familiares ou pessoais de câncer de mama ou câncer estrogênio dependente;
  • Gravidez confirmada;
  • Tumor de fígado;
  • Portadora de hepatite aguda.

Todas essas situações necessitam de acompanhamento médico especial.

Veja também: pílula anticoncepcional, saiba como escolher o medicamento certo. 

 

Antes de iniciar o tratamento, consulte um ginecologista.

Existem alguns casos onde é de extrema importância que a mulher faça acompanhamento com um médico durante o uso da medicação. Conheça algumas dessas situações:

  • Mulheres fumantes;
  • Usuárias com mais de 35 anos de idade;
  • Aparecimento de sintomas de enxaqueca após iniciar o uso de contraceptivos orais;
  • Portadoras de diabetes;
  • Cirurgia eletiva de grande porte com possível imobilização;
  • Sangramento vaginal ou uterino de origem indeterminada;
  • Portadora de anemia falciforme;
  • Portadora de doença da vesícula;
  • Mulheres com mais de 50 anos;
  • Portadora de doenças no coração ou nos rins;
  • História familiar de excesso de gordura no sangue;
  • História de retardo mental, doenças psiquiátricas;
  • Alcoolismo;
  • Dependência de drogas.

O anticoncepcional oral foi uma conquista para muitas mulheres, principalmente em relação a sua independência. Porém, apesar dos seus grandes benefícios é preciso que existam cuidados especiais em relação a sua administração. Assim, antes de iniciar seu uso, busque orientação de um médico especializado. Uma atitude como essa pode prevenir consequências maléficas.

Veja também: Pílula anticoncepcional duvidas verdades e mentiras.

Todo medicamento traz riscos para a saúde.

 

 

Top