A iluminação ideal para cada ambiente

A luz se apresenta como um recurso capaz de valorizar cada ambiente residencial. Uma decoração inteligente saberá como iluminar na dose certa, considerando as…

Por Isabella Moretti em 02/01/2012

A iluminação deve favorecer o ambiente.

A luz se apresenta como um recurso capaz de valorizar cada ambiente residencial. Uma decoração inteligente saberá como iluminar na dose certa, considerando as necessidades e estilo de cada cômodo. Não existe uma fórmula exata para se trabalhar com a luz no espaço, mas conhecer alguns critérios para usar o recurso é fundamental.

Quando se pensa em iluminação, é necessário considerar os aspectos estéticos e funcionais. Desta forma, a luz que incide na área interna da casa precisa facilitar a vida dos moradores e ao mesmo tempo embelezar o visual da casa. O recurso poderá ser usado para dar ênfase em determinados pontos, como objetos e revestimentos.

Dicas para melhorar a iluminação

Não dá para classificar a incidência de luz como certa ou errada, na verdade seu aproveitamento vai determinar a atmosfera de cada ambiente decorado. Confira algumas dicas que fazem a diferença na hora de decorar:

– Aproveite a luz natural para economizar energia e iluminar as divisões durante o dia.

– Com focos de iluminação específicos é possível destacar determinados elementos dentro da casa e até mesmo alterar as cores.

– Para deixar o ambiente com um ar intimista e aconchegante, experimente a luz indireta.

– A luz se revela um poderoso recurso para favorecer a sensação de amplitude.

– Ambientes com paredes escuras necessitam de lâmpadas com maior intensidade.

A iluminação adequada para cada ambiente

A iluminação de ambientes integrados.

Sala de estar: a área social da casa necessita de uma iluminação agradável e receptiva. Durante o dia, vale otimizar a claridade natural através das janelas vestidas com cortinas claras. Para este cômodo da casa é recomendado usar uma luz mais difusa, de preferência com tom mais amarelado.

Sala de jantar: o melhor lugar da casa para ousar com os efeitos de iluminação. Difusa ou intimista, a luz marcará presença no cômodo de acordo com a proposta da refeição – almoço em família ou jantar a dois, por exemplo.

Cozinha: trata-se de um ambiente de convívio que precisa ser bem iluminado para que o indivíduo possa realizar as atividades com precisão, como o preparo dos alimentos. Utilize lâmpadas claras e situadas no teto para garantir um bom projeto de iluminação.

Quarto: é bem interessante dar um ar intimista a este cômodo através do sistema de luz indireta. Mas, caso objetivo seja criar um ambiente bem iluminado, aproveite o efeito da iluminação difusa.

Banheiro: a iluminação neste cômodo deve ser uniforme e intensa, com um foco especial no lavabo. Prefira usar as lâmpadas difusoras como a luz principal do ambiente, como é o caso da fluorescente. As luzes usadas como pontos focais não são recomendadas no espaço sanitário porque podem criar sombras desagradáveis.

Normalmente a luz é difusa, mas pode ter focos específicos.

Top