Vinho: Saiba Combinar o Tipo de Vinho com a Refeição

Quem gosta de um bom vinho sabe que suas variações são muitas e a delicadeza de cada sabor e bouquet é que conferem  personalidade…

Por Redacao em 01/09/2011

Quem gosta de um bom vinho sabe que suas variações são muitas e a delicadeza de cada sabor e bouquet é que conferem  personalidade própria a cada um. É muito improvável que o vinho de uma determinada procedência tenha o mesmo sabor que o outro. Os sabores variam de acordo com o tipo de uva que é usada e de que como o processo de fabricação é feito. Ele pode ser tinto, branco, rosado, etc. Mesmo que sejam do mesmo tipo, um jamais terá o mesmo gosto do outro. Em suas características, ele pode ser ácido, doce, adstringente, encorpado, leve, e mais uma infinidade de toques.

Com tantas diferenças assim, o vinho se torna uma bebida especial, principalmente para aqueles que gostam de degustá-lo. E não confunda degustar vinho com beber vinho, pois os especialistas conhecem profundamente as características de um quando o bebem. Alguns são até pagos para fazer isso. Aproveitando essa grande variedade, é possível e muito recomendado também que sejam feitas combinações de acordo com a refeição que você fará. Seria o que se chama harmonizar sabores de pratos com os vinhos que os acompanham. É importante lembrar que não existem leis na hora de combinar vinho com comida, mas saiba que pode ser mais difícil degustar ambos caso a combinação tenha efeito totalmente oposto.

Para fazer tais combinações, tenha em mente primeiro que ele será servido com outros alimentos. Portanto, se não for aceitável de acordo com o paladar do prato servido, é melhor que não seja servido de forma alguma. Porém, se a combinação for boa, vai ser uma refeição inesquecível, valorizando bem a sua receita. Comece pelo básico: vinhos tintos caem muito bem em um churrasco ou para massas. Já para comer um delicioso peixe, nada como um vinho branco.

Se tiver dificuldades na hora de escolher qual vinho servir, procure saber qual é a origem do prato, de que país ou região veio. Assim, fica mais fácil saber o que pode entrar na harmonia de sabores. Se você tiver algum vinho de lá, pode servi-lo. Ter uma certa flexibilidade também é importante nesses casos, pois nem todos os vinhos vão combinar como a recomendação diz (apesar de serem casos raros).

No caso de pratos mais fortes como uma feijoada, não vai pegar bem servir um vinho mais leve, então procure por um mais encorpado para deixar tudo nivelado. Caso vá comer algo mais leve como um sushi, um vinho mais jovem e branco é a melhor pedida.Para as massas, a situação pode variar mais. Vai depender muito do que você está preparando, mas costuma ser de boa escolha um vinho tinto mais jovem, com um nível de acidez mais baixo.

Lembre-se que o vinho é a única bebida que se conhece na qual quanto mais o tempo passa, melhor fica sua qualidade. Outra boa característica da bebida é a sua capacidade de agregar pessoas ao redor de uma mesa ou em qualquer ambiente agradável, para um bate-papo sem compromisso, que às vezes se prolonga por horas, na mesma proporção das garrafas de vinho.

Então, não hesite. Na próxima vez em que reunir os amigos, abra uma boa garrafa de vinho e brinde a este bom momento!

 

Top