Uso excessivo de laxantes: perigos

Uso excessivo de laxantes: perigos

A prisão de ventre, conhecida pelo nome técnico de constipação intestinal, é um problema bastante comum, especialmente entre as mulheres, e pode ser definida…

Por Editorial MDT em 30/09/2013

A prisão de ventre, conhecida pelo nome técnico de constipação intestinal, é um problema bastante comum, especialmente entre as mulheres, e pode ser definida como intervalo entre as evacuações maior que 3 dias e/ou fezes de consistência endurecida e de difícil eliminação. Infelizmente, algumas pessoas tentam resolver o problema por conta própria e acabam fazendo uso de medicação laxativa, sem saber dos riscos desse tipo de medicamento. Saiba mais e conheça os perigos do uso excessivo de laxantes.

Tomar remédios laxativos pode ser mais perigoso do que se imagina. (Foto: divulgação)

Combatendo a constipação intestinal

A principal causa de prisão de ventre é o mau hábito alimentar. Por mais incrível que possa parecer, cerca de 90% dos casos de indivíduos portadores de constipação intestinal crônica poderiam ser resolvidos com uma alimentação correta, rica em fibras.

O ideal seria que todo indivíduo ingerisse, diariamente, cerca de 30 gramas de fibras alimentares, solúveis e insolúveis, na forma de frutas, verduras, cereais e legumes. Quem costuma ingerir muitos carboidratos e carnes vermelhas tende a ter um hábito intestinal mais constipado.

Outro fator indispensável para o adequado funcionamento do trato gastrintestinal é a ingestão diária de, pelo menos, 2 litros de água. Essa medida simples, associada à maior ingestão de fibras, facilita muito a formação do bolo fecal e o trânsito gastrintestinal.

A constipação intestinal é um problema que atrapalha o dia a dia. (Foto: divulgação)

Perigos do uso excessivo de laxantes

Os laxantes estimulantes (como a fenoftaleína, bisacodil, sene, cascara sagrada e ruibarbo), bem como os laxativos osmóticos (como o sorbitol, óleos minerais, óleo de rícino, sulfato e citrato de magnésio) são comumente vendidos sem receita médica e muitas vezes indicados por conhecidos e pessoas que não são formadas na área da saúde.

O que muita gente não sabe é que, apesar de aparentemente inocentes, essas substâncias podem provocar danos na mucosa do intestino devido à sua ação irritativa, bem como lesões irreparáveis aos nervos presentes na parede do trato gastrintestinal. O resultado é que com o passar do tempo, o quadro de prisão de ventre vai se tornando mais grave e prologando, de modo que o intestino só passa a trabalhar mediante o uso de doses cada vez maiores da medicação.

Para acabar com a prisão de ventre é preciso mudar os hábitos alimentares. (Foto: divulgação)

É muito importante que antes de usar qualquer tipo de medicação laxativa o indivíduo procure melhorar seus hábitos alimentares, aumentando a ingestão de fibras e água. Caso o problema persista, é necessário procurar auxílio médico, a fim de encontrar um remédio seguro para ajudar o intestino a funcionar.

Top