Tipos mais comuns de nutricosméticos

Atualmente, segue-se um novo conceito de beleza, na dermatologia. Trata-se do “In & Out” (“dentro e fora”), ao qual se associa a ideia de…

Por Editorial MDT em 03/07/2013

Atualmente, segue-se um novo conceito de beleza, na dermatologia. Trata-se do “In & Out” (“dentro e fora”), ao qual se associa a ideia de que a beleza é fruto dos cuidados dedicados à parte externa do corpo, mas também à interna. Ou seja, para que a juventude e a saúde da pele e dos cabelos sejam mantidas, é preciso cuidar-se, também, de dentro para fora. É por isso que, bem sabemos, os alimentos saudáveis são primordiais. No entanto, os nutrientes fornecidos por uma dieta saudável podem ser conseguidos por meio de cápsulas, que devem ser tomadas diariamente. São os chamados nutricosméticos, que têm causado furor no mundo da beleza.

Os nutricosméticos estão fazendo o maior sucesso, no mundo da beleza (Foto: Divulgação)

Tipos de nutricosméticos

Não são todos iguais, embora a indústria brasileira use o termo, de forma genérica. Existem os Nutracêuticos (cápsulas com alta dose de nutrientes, que visa manter a saúde e prevenir doenças, não tendo nada a ver com a beleza), os Aliméticos (vêm em forma de alimentos que, geralmente, não contêm açúcar, conservantes e corantes) e os Nutricosméticos (cápsulas com altas doses de aminoácidos, vitaminas, minerais, fitoterápicos e compostos de origem vegetal, sendo próprios para a beleza).

O que se busca, ao ingerir nutricosméticos, é turbinar os cuidados com a aparência, principalmente se o tempo anda corrido. As cápsulas de beleza prometem repor os nutrientes em falta, no organismo. Suas principais utilidades se relacionam à pele, aos cabelos e às unhas, combatendo radicais livres, celulites, queda e enfraquecimento, manchas, entre outros terrores de beleza.

As cápsulas prometem auxiliar os cuidados com a beleza (Foto: Divulgação)

Como escolher nutricosméticos

Na hora de comprar nutricosméticos, deve-se escolher aquele que supra necessidades específicas. Os tipos mais comuns são:

– Os que favorecem a circulação: estes nutricosméticos combatem a celulite e queimam gordura. A cafeína no combate à celulite já é muito usada e, por isso mesmo, é que ela é o principal ativo destas cápsulas. Outro ingrediente comum é o óleo de cártamo;

– Nutricosméticos contra o sol: previnem contra os males do sol, além de combaterem manchas. Devem ser tomados com antecedência à exposição, mas nunca devem substituir o protetor solar;

Os nutricosméticos não devem substituir os alimentos (Foto: Divulgação)

– Fortalecimento de unhas e cabelos: possui ingredientes como biotina, ferro e zinco. Destinam-se ao fortalecimento, apenas;

Nutricosméticos para rugas: combate os radicais livres, por meio de um coquetel de antioxidantes. Os ingredientes que contribuem com a formação de colágeno estão presentes, além das vitaminas C e E.

Para finalizar, é bom que as pessoas saibam que o consumo de nutricosméticos não substitui a necessidade de alimentar-se bem. Todos os seus ingredientes podem ser encontrados, nos alimentos. Antes de usá-los, deve-se ter atenção com a bula, observando a quantidade diária indicada, seguindo-a à risca. O excesso de nutrientes também pode fazer mal à saúde.

Top