Sintomas do AVC – Acidente Vascular Cerebral

Quem estava acompanhando o jogo clássico de futebol entre Vasco e Flamengo no domingo, certamente levou um susto ao ver Ricardo Gomes, técnico do…

Por Editorial MDT em 05/09/2011

Quem estava acompanhando o jogo clássico de futebol entre Vasco e Flamengo no domingo, certamente levou um susto ao ver Ricardo Gomes, técnico do Vasco da Gama passar mal e deixar o estádio de ambulância. E o fato, transmitido em todos os noticiários e portais de internet, reacendeu a discussão a respeito de um problema que faz parte da realidade de muitos brasileiros, porém que andava sendo minimizado por muitas pessoas em função do estilo de vida.

O que é o AVC – Acidente Vascular Cerebral

Os dados oferecidos pelo site G1 a respeito do tema são alarmantes: o Acidente Vascular Cerebral  – também chamado de acidente vascular encefálico (AVE) – é a maior causa para internações e morte no Brasil e que afetou quase 85 mil pessoas no país somente no 1º semestre de 2011. Já no mundo este problema é o responsável por 10% de mortes ocorridas por ano.

Ainda segundo as informações do portal, é o que acontece quando uma área do cérebro tem o seu recebimento de sangue alterado e ao deixar de receber, acaba não exercendo suas tarefas de forma correta. Isso pode ocorrer de duas formas:

Hemorrágico: Aquilo que as pessoas costumam chamar de “derrame” acontece quando um dos vasos sanguíneos é rompido, causando vazamento do sangue.

Isquémico: Quando um dos vasos sanguíneos fica entupido por acúmulo de gordura e o sangue não consegue chegar até uma determinada área do cérebro. Este tipo representa 80% dos casos registrados.

Segundo dados da Revista Saúde é Vital, em ambos os casos o resultado é o mesmo: as células da área afetada deixam de receber nutrientes e morrem, podendo causar diversas sequelas, que variam dependendo do local lesionado, como paralisias, problemas de fala, visão, memória e até a morte.

Sintomas:

Os sintomas variam, porém ao menor sinal de um deles você deve se dirigir ao hospital imediatamente:

Forte dor de cabeça: Ela surge de repente e pode causar vômitos. Também pode ser acompanhada de tonturas.

Perda de visão ou dificuldade em enxergar: Ocorre de repente, sem explicação. Pode acontecer em apenas um dos olhos.

Dificuldades em falar e confusão repentina: Problemas para falar e também em entender o que as outras pessoas dizem.

Fraqueza ou paralisia: No rosto, braço ou pernas, com perda de equilíbrio e coordenação.

O atendimento rápido pode fazer toda a diferença para o paciente, salvando sua vida, garantindo uma recuperação rápida e até mesmo sem sequelas.

Fatores de risco:

Embora haja fatores de risco que não estejam sob nosso controle, como por exemplo a idade e o histórico familiar, há outros que dependem tão somente dos hábitos e estilo de vida.

– Pressão alta.

– Cigarro

– Diabetes

– Abuso de bebida alcoólica.

– Uso de drogas

– Estresse

– Colesterol elevado

– Histórico de doença na família.

– Sedentarismo.

– Problemas cardíacos, doenças no sangue e nos vasos sanguíneos.

Como evitar?

Evitar os riscos de um acidente vascular cerebral envolve uma mudança de estilo de vida e acompanhamento médico. Uma das maiores precauções possíveis é o controle da pressão arterial, especialmente se houver fatores de risco. É necessário seguir o tratamento a risca, incluindo possíveis mudanças no cardápio alimentar, exercícios físicos eventual medicação receitada.

Fontes:

– G1 – Entenda o que é o AVC, problema que afetou o técnico Ricardo Gomes

– Revista Saúde: Especial AVC

Top