Rio de Janeiro têm mais de 120 mil alunos "fantasmas"

Rio de Janeiro têm mais de 120 mil alunos “fantasmas”

Durante uma auditoria realizada pela Secretaria Estadual de Educação do Rio de Janeiro (Seeduc – RJ) foi revelado que 120 mil alunos matriculados nas…

Por Redacao em 16/11/2011

Durante uma auditoria realizada pela Secretaria Estadual de Educação do Rio de Janeiro (Seeduc – RJ) foi revelado que 120 mil alunos matriculados nas escolas do estado são “fantasmas”. Isso porque esses estudantes apesar de terem inscrição efetiva dentro das instituições, não frequentam as aulas, e muitas vezes desde o começo do ano. Em algumas unidades cerca de 60% dos estudantes cadastradas já abandonaram os estudos.

A investigação só foi iniciada depois de um descontentamento do Ministério da Educação que cobrou explicações do Rio de Janeiro depois que o estado teve baixa participação em um levantamento anual, o qual indica o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Com os dados, é possível orientar os recursos que devem ser investidos em cada unidade. Entretanto, cerca de 60% dos diretores ainda não haviam enviado seus respectivos relatórios pouco antes do prazo acabar.

Para que os repasses fossem matidos, o Seeduc assumiu a responsabilidade de enviar os dados para o Ministério. Porém uma surpresa trouxe à tona um fato nada agradável: dos 1,175 milhão de alunos, apenas 1,055 milhão frequentavam regularmente as aulas.

“Encontramos unidades escolares com muitos alunos que se matricularam e não vinham cursando aquele ano. Com dados corretos, poderemos investir 30% a mais nos alunos em 2012. Ano que vem, o investimento por aluno será de R$ 3,5 mil”, disse Wilson Risolia, Secretário Estadual da Educação.

Não apenas nos investimentos nas escolas, mas também o número maior de alunos influencia na gratificação dos diretores. Quanto maior a capacidade e porte de cada instituição de ensino, maior o salário do gestor, que varia entre R$ 4 mil e R$ 6 mil.

“Estamos conversando, orientando e advertindo onde encontramos erros. A secretaria está atenta e fiscalizando onde há equívocos. Temos que atuar contra usos e costumes”, afirmou Risolia.

Diante da possível fraude, a Secretaria começará a ficar mais atenta aos dados apresentados pelas 1.450 unidades do Estado. Está em questão, inclusive, a criação de uma equipe que faça visitas às escolas para conferência de informações sobre os alunos.

Top