Publicidade no Brasil: Entenda os números e fique por dentro!

Wagner Santos 30/07/2021 Notícias

A Publicidade no Brasil é, hoje, uma área de muito investimento e muito progresso. Para se ter em mente, o nosso país é o 5º com o maior gasto em marketing no mundo inteiro, mesmo tendo uma moeda muito mais fraca do que o dólar e com um gasto per capita abaixo dos outros territórios. Isso mostra dois fatores: temos espaço para crescer muito nessa área.

Publicidade no Brasil

Se você está pensando em entrar no setor ou quer apenas ter uma visão mais ampla do segmento, precisa analisar com precisão os números da Publicidade no Brasil e como eles podem afetar um negócio. Sabendo desses números, fica mais fácil estabelecer benchmarks e entender se essa é uma indústria interessante para você ou não, independentemente da área do Marketing que você pretenda atuar.

Siga a leitura abaixo até o fim para entender alguns dos números da Publicidade no Brasil!

Investimento da Publicidade no Brasil é de $21,3 bilhões de dólares

O valor anual investido em publicidade no Brasil é o equivalente a cerca de $21,3 bilhões de dólares. Isso faz do nosso país o quinto maior mercado de marketing do mundo, atrás de territórios mais desenvolvidos economicamente, como:

  • EUA;
  • Japão;
  • China;
  • Alemanha.

Desses, o Brasil só tem investimento per capita maior do que a China, que investe pouco mais do que $20 dólares por pessoa. Isso acontece porque, apesar da urbanização em ritmo acelerado do país asiático, muita gente lá ainda vive em cidades rurais, com menos oportunidade de publicidade.

Se o Brasil investisse o mesmo per capita que os EUA, o nosso investimento anual seria de algo próximo a $237 bilhões de dólares. Ou seja: há um gigantesco caminho para crescer em termos de investimento publicitário no Brasil.

É claro que os EUA são o país que mais investem no assunto (tanto em total, quanto per capita). Mas mesmo usando o Japão como base, o Brasil ainda poderia investir muito mais. Usando a regra per capita da Terra do Sol Nascente, nosso investimento seria de quase $86 bilhões de dólares.

Um dos empecilhos para esse crescimento é justamente o fato do real estar muito abaixo do dólar no mercado internacional. Assim, é difícil para o nosso país manter padrões de investimentos comparáveis em dólar, especialmente com países cuja moeda é tão valiosa quanto (Japão ou União Europeia).

Mercado caiu 30% em 2020 com a pandemia do novo coronavírus

Um ponto negativo sobre o mercado publicitário nacional é que o seu desempenho foi muito abaixo do esperado em 2020. A razão disso, claro, foi a pandemia do novo coronavírus.

De acordo com um levantamento da indústria, os investimentos em publicidade foram reduzidos em 30% em 2020. Parte disso veio do fato que as empresas estavam com menos dinheiro para investir e com uma perspectiva pior.

Já outra parte veio do simples fato de que mais de 700 mil negócios fecharam as portas por causa da pandemia, gerando desemprego em massa.

É importante ter em mente que essa é uma resposta negativa para a pandemia. Afinal, é justamente em momentos de crise que o investimento deve ser maior, justamente para alimentar o crescimento econômico.

Existem mais de 17 mil agências de publicidade propriamente estabelecidas

Um ponto interessante sobre o mercado de publicidade no Brasil é o fato de que grande parte dele ainda é quase que totalmente informal. Para se ter ideia, um levantamento mostrou que existem pouco mais de 17 mil agências de publicidade propriamente estabelecidas no Brasil. Isso são empresas que estão montadas formalmente e bem categorizadas nos elementos corretos. Um exemplo é a Chili, agência especializada em projetos de SEO e multinacional, com presença em todos os continentes.

No entanto, em um levantamento informal, o mLabs (uma das principais ferramentas de gestão de redes sociais) contabilizou 47 mil agências de comunicação diferentes, incluindo as de Relações Públicas e de comunicação digital.

Ou seja: há claramente uma subnotificação de agências formalizadas no Brasil, muitas delas atuando informalmente como MEIs ou em organizações flexíveis, especialmente no contexto digital.

A solução para isso passa por uma melhor adequação legislativa e normativa das agências de publicidade para permitir a formalização adequada dessas milhares de agências que atuam no mercado, mesmo sem o registro correto.

Afinal de contas, a informalidade impede a adequada fiscalização do segmento, além de dificultar a vida tanto dos clientes, quanto dos próprios empreendedores, que ficam sem acesso a recursos específicos para investir em seu trabalho.

Esses são alguns dos dados mais interessantes sobre a Publicidade no Brasil atualmente. Como deu para ver, apesar de ser um grande mercado, ele ainda é repleto de informalidade e com um enorme potencial para crescer, especialmente no segmento digital. Por isso, há bastante espaço para profissionais da área se especializarem e começarem a trabalhar nesse setor que muda tanto.

E aí, gostou do conteúdo? Comente abaixo com a sua opinião sobre o tema!

Outros artigos

Ipem Oferece Vagas Temporárias

25/07/2009

Ipem Oferece Vagas Temporárias

Foi aberto processo seletivo pelo Instituto de Pesos e Medidas (Ipem) do Rio de Janeiro onde são oferecidas 189 vagas temporárias. Salário: R$ 500 a R$ 1.000....