Primeiros socorros em casos de infarto

Primeiros socorros em casos de infarto

Normalmente surgem em nossas vidas circunstâncias críticas, as quais necessitam de atuação rápida e com resposta imediata. No infarto não é diferente e necessita…

Por Editorial MDT em 04/10/2011

Normalmente surgem em nossas vidas circunstâncias críticas, as quais necessitam de atuação rápida e com resposta imediata. No infarto não é diferente e necessita de rápido atendimento, pois as artérias que levam sangue ao coração ficam obstruídas, o que forma um coágulo de sangue. Pequenos detalhes realizados durante o infarto já aumenta cerca de 25% das chances de sobrevivência da pessoa.

Numa emergência cardíaca é necessário tomar rápidas decisões. Neste momento, descarte a hipótese de melhor escolha, pois, desse modo acabará perdendo muito tempo pensando. Mesmo que não tenha certeza se é ou não um ataque cardíaco é preciso tomar atitudes imediatas.

Primeiramente não hesite em ligar para 192. Chamar seu médico particular pode acrescentar tempo desnecessário, pois, ligando para a emergência o próprio telefonista entrará em contato com os serviços de emergência. Ao telefonar é imprescindível que descreva todos os sintomas como: dor no peito, falta de ar, todos eles devem ser levados em conta.

Desse modo o pessoal da emergência já virá equipado com todos os instrumentos específicos para a revitalização cardíaca básica e avançada. A grande maioria das unidades de emergência possui o desfibriladores portáteis, os quais são imprescindíveis para o restabelecimento do ritmo cardíaco e decisivo para o início do tratamento e a sobrevivência.

É preciso estar baseado numa rápida avaliação, a qual deve ser verificada pelos seguintes aspectos:

– Respiração;

– Consciência;

– Batimento cardíaco

Depois de constatado o ataque cardíaco, é preciso que se inicie a reanimação cárdio-pulmonar. Para fazer a reanimação posicione a palma da mão na parte inferior do osso externo e pressione a região bem no meio do tórax. O objetivo é realizar movimentos de baixo intervalo com forte compreensão no peito.

Na espera pelos atendentes poderá mastigar uma aspirina, a qual impede a coagulação do sangue a qual ajuda a manter o fluxo sanguíneo pela artéria.  A aspirina diminui a taxa de óbito em 25% quando ingerida durante o infarto. Em caso de perda de consciência o ato de tossir também ajuda irrigação do coração, prejudicada no infarto.

Além de manter consultas regulares com cardiologistas, é importante todo ano realizar um check-up para evitar ao máximo problemas como esse de alto grau de perigo.

Top