Pré-natal: principais exames e suas razões

O Pré-natal O pré-natal tem o objetivo de prevenir, instruir e promover suporte para a gestante, o bebê e toda a família envolvida. É…

Por Editorial MDT em 03/11/2011

O Pré-natal

O pré-natal tem o objetivo de prevenir, instruir e promover suporte para a gestante, o bebê e toda a família envolvida. É importante, nesse processo, entender quais os exames que devem ser feito e a razão da realização de cada um deles. Essa é a melhor forma de cuidar do seu filho antes mesmo dele vir ao mundo.

O pré-natal deve ser realizado rotineiramente a partir do momento em que se descobre a gravidez, mesmo no primeiro trimestre da gestação.

Os exames que serão pedidos possuem, cada um, uma enorme importância para que o médico saiba o mais cedo possível se há algum problema com o bebê. Assim, pode tranquilizar a família que o espera.

Os exames

Um dos primeiros exames a serem pedidos é o hemograma completo.  Este serve para detectar alguma alteração no sangue da futura mamãe, como anemia ou coagulopatia. É normal que os valores de hemoglobina estejam um pouco abaixo do que se espera em mulheres não grávidas. Isso ocorre por haver uma hemodiluição no sangue materno, ou seja, ocorre uma retenção de líquido devido a alguns hormônios liberados conforme a necessidade sanguínea para suprir mãe e filho, deixando o sangue mais diluído.

A Glicemia de jejum é outro importante exame. Logo no início da gravidez é importante saber se a gestante já é portadora de diabetes ou se pode desenvolver um quadro gestacional. Dependendo de cada caso, medidas importantes devem ser tomadas para assegurar a saúde do bebê.

O tipo sanguíneo e o fator Rh são de extrema importância. Deve ser realizado para evitar incompatibilidades entre o sangue da mãe e do feto. O objetivo é que não ocorra rejeição do sangue da mãe pelo do bebê, acarretando morte prematura. O grande problema é quando o fator Rh materno é negativo e o do feto positivo. Quando isso ocorre, algumas medidas devem ser tomadas, como a vacinação da mãe logo após o parto para que na próxima gestação não haja rejeição sanguínea.

A Urina 1 é um exame muito simples e tranquilo de se realizar.  É com esse exame que vemos se a mãe tem infecção urinária ou risco de contraí-la. Mesmo quando se encontra algumas bactérias na urina, sem que haja sintomas, deve ser realizado o tratamento. É que existe um grande risco de ocorrer parto prematuro quando ocorre esse problema na gestante.

A Sorologia para saber se a mãe é portadora de HIV é, sem sombras de dúvidas, fundamental na gestação. Se a gestante for HIV positivo e não tratar, o bebê tem um risco de 30% de nascer com o vírus. Já quando tratado durante a gestação e com os devidos cuidados durante e após o parto, esse risco cai para 2%.

A sorologia para Hepatite B também é importante. Caso a gestante esteja com infecção aguda do vírus, a criança deve ser tratada o mais rápido possível com imunoglobulina para diminuírem as chances de ela desenvolver a doença. Crianças que sofrem a exposição ao vírus da hepatite B, mesmo ainda no útero materno, tem uma grande chance de desenvolver câncer de fígado e cirrose na adolescência.

Sorologia para toxoplasmose. Quando essa doença é adquirida durante a gravidez há uma enorme repercussão para o feto, principalmente nos três primeiros meses. Devido a isso, deve- se investigar toxoplasmose em todas as gestantes para que possa tratar imediatamente.

O exame para detecção de sífilis (VDRL) é feito pelo fato de que as crianças de mães portadoras da doença tem uma grande chance de nascer com problemas principalmente cerebrais.

É importante que a gestante realize uma ultrassonografia no primeiro trimestre, para saber se está tudo correndo bem, se realmente está grávida e qual a idade gestacional em que ela se encontra. Esse é o melhor momento para se saber quanto tempo faz que o bebê está se formando. Nos próximos trimestres é um pouco mais difícil saber essa idade com precisão.

Segundo o ministério da saúde, as grávidas com peso normal antes de ficarem grávidas (IMC=20-25) devem ganhar de 11 a 16 quilos durante a gestação. Porém, é importante lembrar que se ganha mais peso no último trimestre se comparado com os anteriores. Mulheres obesas devem ganhar menos peso e as abaixo do peso ideal devem ganhar valores acima do relatado.

As vacinas que não podem ser esquecidas nesse momento são a contra o tétano, caso a grávida não esteja imunizada e Hepatite B.

O tempo de gestação normal varia de 40 a 42 semanas. Dentro desta faixa a gestante deve ficar atenta aos sinais de parto como contrações que duram no mínimo 40 segundos e ocorrem ao menos 3 vezes em 10 minutos.

Proteja seu filho desde cedo. Faça o pré-natal corretamente.

Top