Porquê, por quê, por que e porque: quando usar, regras

Um dos assuntos mais cobrados em provas de todo tipo, o uso do porquê continua confundindo muita gente. A palavra pode ser usada de…

Um dos assuntos mais cobrados em provas de todo tipo, o uso do porquê continua confundindo muita gente. A palavra pode ser usada de quatro maneiras diferentes. Quando estamos falando, não percebemos tais diferenças, já que a sua pronúncia é a mesma para as quatro variações. Porém, quando vamos escrever…, a coisa se complica. Muita leitura sempre ajuda, além do estudo das regrinhas. Assim, acostuma-se mais facilmente com cada uma das formas. E se você está organizando seus estudos para o vestibular 2014 ou para quaisquer outras provas que irão cobrar a Língua Portuguesa, não há como fugir. Terá de aprender os usos corretos desta palavrinha. Veja algumas regras e quando usar as formas do porquê.

As quatro formas do porquê causam muita confusão (Foto: Divulgação)

Quando usar a palavra porquê

A forma porquê, ou seja, escrita junto e com acento circunflexo, representa um substantivo. Você se lembra dos substantivos? São palavras que usamos para nomear as coisas. Podem ser concretos (xícara, mesa, carro, cachorro, etc) ou abstratos (amor, esperança, desejo, ódio, beleza, razão, etc). No caso do porquê, a palavra pode ser substituída pelos substantivos “causa”, “motivo” ou “razão”. Geralmente, esta forma vem acompanhada de uma palavra determinante (pode ser um artigo, um pronome, etc). Veja exemplos:

– “Quero que você me dê ao menos um porquê para sua atitude” (razão)

– “Não é fácil entender o porquê dessa confusão” (motivo, causa)

– “ Acho que os verdadeiros porquês, mais uma vez, não foram esclarecidos” (motivos)

Por associação de significados, é possível decorar as regrinhas (Foto: Divulgação)

Quando usar a palavra por quê

Quando a palavra estiver no final de uma frase ou imediatamente antes de um ponto final, de uma exclamação, interrogação, reticências ou vírgulas (neste caso, pode estar no meio de uma frase), separa-se o porquê, usando-se por quê. Siga os exemplos:

Leia Também:  Os melhores supletivos a distância

– “Ainda não terminou por quê?” (Mas: “ Por que ainda não terminou?”)

– “Não sei por quê

– Ainda não entendi por quê, mas acho que tudo terminará bem”

Basta lembrar que a palavra “que”, em final de frases, passa a ser um monossílabo tônico e deve ser acentuada, não importando qual é a palavra que vem antes delas (neste caso, a palavra “por”).

Quando usar a palavra por que

A palavra por que pode ser substituída por “por qual razão”, “por qual motivo”. Ela é interrogativa. A diferença entre ela e o “por quê” é que por que aparecerá em outros locais da frase. Observe:

– “Por que você agiu dessa maneira?”

– “ Não se sabe por que o problema não é resolvido”

– “ Por que o corruptos não vão para a cadeia?”

Não leve dúvidas para a prova (Foto: Divulgação)

Quando usar a palavra porque

Finalmente, a palavra porque pode ser substituída por “para que”, “a fim de”, “já que” ou “pois”. Ela tem um caráter explicativo. Veja:

– “O problema agravou-se porque muitas pessoas tornaram-se violentas”

– “Você está com raiva de mim! É porque eu não falei com você, ontem?”

– “Acho que algo está errado, porque muita gente deixou de comparecer”

Estude a Língua Portuguesa em casa, nas escolas ou em cursinhos, com mais atenção e menos revolta. Dedique-se sempre à leitura de bons textos, pois isso irá ajudar muito a compreender e assimilar as regras da língua. 

Top