Palmeiras tem sua segunda pior campanha na era dos pontos corridos

O Palmeiras vive uma de suas piores crises em toda a história. Neste Brasileirão, a equipe soma sete partidas sem vitória, está em queda…

Nem Felipão consegue dar jeito ao time do Verdão nesta temporada

O Palmeiras vive uma de suas piores crises em toda a história. Neste Brasileirão, a equipe soma sete partidas sem vitória, está em queda livre na tabela de classificação e já ocupa a 13ª posição, com apenas 41 pontos conquistados.

A campanha do Verdão nesta edição do torneio nacional é tão ruim, que o clube registra sua segunda pior participação na era dos pontos corridos do Brasileirão.

De 2003 para cá, apenas o desempenho do Palmeiras em 2006 era pior do que o atual, depois de 32 rodadas percorridas. Naquela ocasião, o alviverde estava na 15ª colocação, com 37 pontos. E por pouco não foi rebaixado à segunda divisão. Ao término do Brasileirão daquele ano, o Palmeiras ficou na 16ª colocação, uma posição acima da zona de rebaixamento.

Na edição de 2011, a equipe alviverde coleciona números negativos no torneio. Depois de ficar entre os primeiros colocados na primeira parte do campeonato, o time é dono da terceira pior campanha do segundo turno. Em 13 partidas, o Verdão somou apenas nove pontos, com uma vitória, seis empates e seis derrotas. O fraco rendimento fez com que torcedores e jogadores ligassem o sinal de alerta em relação ao rebaixamento.

A sorte da equipe paulista até aqui é o baixo desempenho dos times que estão lá embaixo. Na última rodada, por exemplo, dos times que estão abaixo do Palmeiras na classificação apenas o Atlético Mineiro conquistou os três pontos.

Veja os números do Palmeiras até a 32ª rodada nos campeonatos de pontos corridos:

2003 – Palmeiras estava na Série B.
2004 – 7º lugar, com 52 pontos
2005 – 5º lugar, com 53 pontos
2006 – 15º lugar, com 37 pontos
2007 – 2º lugar, com 54 pontos
2008 – 4º lugar, com 58 pontos
2009 – 1º lugar, com 57 pontos
2010 – 10º lugar, com 47 pontos
2011 – 13º lugar, com 41 pontos

Leia Também:  Equilíbrio no setor defensivo foi o segredo para o Corinthians brilhar em 2011

Top