Meditar para passar a ansiedade

Um incômodo de nossa sociedade atual é a ansiedade. Esta não nos deixa viver o presente, pois, estamos sempre tentando viver e controlar o…

Por Editorial MDT em 03/10/2011

Um incômodo de nossa sociedade atual é a ansiedade. Esta não nos deixa viver o presente, pois, estamos sempre tentando viver e controlar o futuro a todo tempo, e o pior, sem conseguir. Mesmo sabendo disso, ainda assim tentamos estar no comando de tudo e todos, nos grandes e nos pequenos detalhes. Uma das práticas que vem se destacando atualmente para diminuir e controlar a crise de ansiedade é a meditação, a qual, sua principal técnica é a respiração.

Muitas pessoas ao ficarem ansiosas, normalmente respiram de uma forma mais acelerada, acarretando sintomas como: formigueiro, tonturas, contrações musculares etc. Sintomas estes tipicamente proporcionados pela ansiedade. Com a prática correta da respiração, ajusta esse desequilíbrio e impede que a crise prossiga. Assim:

-Inspire e expire lentamente e pausadamente. Procure iniciar uma inspiração suave contando até três.

– Ao expirar tente fazer com que a barriga aumente e ao inspirar faça com que ela encolha.

– Pratique esta respiração em lugar aconchegante e descubra seu ritmo.

– Use esta prática sempre que estiver em crises de ansiedade.

A idéia básica associada ao motivo pelas quais as pessoas procuram à meditação, é simples. Normalmente muitos ficam invariavelmente sujeitos a praticar atividades como: estudar, ler jornais, conversar, as quais fazem com que ingressem em conflitos constantes de ordem mental. A meditação permite que todo esse conflito desapareça, proporcionando relaxamento, concentração mental e uma ampla sensação de paz.

Realizar a meditação durante 20 minutos diários, durante cinco vezes na semana, a pessoa apresenta uma significativa redução da ansiedade, dos níveis de hormônio do estresse e mais, teve também uma diminuição da raiva, depressão e cansaço. Além desses, há também os efeitos fisiológicos, os quais os mais comuns são: diminuição da pressão sanguínea, redução da taxa metabólica e bulsação mais baixa.

Além disso, a meditação faz com que a respiração se tranqüilize suavizando a os batimentos cardíacos. Em geral, a meditação pode envolver sons, mas não em linguagens faladas, pelo contrário, esta tem por objetivo ativa um nível de não-pensamento lingüístico.

Top