Jovens desconhecem a importância da educação profissional

Uma pesquisa realizada pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) revelou que os brasileiros estão desinteressados na oferta de cursos profissionalizantes, o que acaba resultando na…

Grande parte dos jovens ocupam mais o tempo trabalhando do que estudando.

Uma pesquisa realizada pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) revelou que os brasileiros estão desinteressados na oferta de cursos profissionalizantes, o que acaba resultando na baixa adesão. Os estudantes reclamam que não há oportunidades para a formação, porém esta não é bem a realidade. Os estudos concluíram que 70% dos brasileiros sem educação profissional não sentem interesse em estudar, mas desconhecem a valorização do diploma técnico.

As escolas profissionalizantes estão distribuídas em todo o país, disponibilizando cursos gratuitos para aqueles que não possuem condições financeiras de investir na formação. No entanto, grande parte dos brasileiros abre mão de estudar para ingressar no mercado de trabalho em cargos simples, visando apenas à remuneração. E, infelizmente, acabam esquecendo que a qualificação é essencial para crescer na vida profissional.

De acordo com o economista da FGV, Marcelo Neri, que coordenou a pesquisa, os jovens estão sim interessados em crescer. Apesar de não parecer, eles vêm se empenhando no emprego e nos estudos ao mesmo tempo, mas ainda não são todos que estão aproveitando as facilidades para ingressar nos cursos profissionalizantes.

A oferta de cursos profissionalizantes existe em todo o país.

Depois de concluir o Ensino Médio, muitos jovens acreditam que não necessitam de faculdade ou curso técnico quando conquistam um bom emprego. Para ganhar mais no trabalho, os recém-ingressados no mercado fazem horas extras e até ocupam o tempo que na verdade seria importante para estudar.

A pesquisa ainda aponta que o curso profissionalizante ainda é visto como uma formação alternativa, ou seja, inferior à graduação. A desvalorização do Ensino Técnico na verdade só existe na mente das pessoas, porque fundamentalmente as indústrias e empresas estão demonstrando cada vez mais interesse em contratar profissionais com diploma profissionalizante.

Leia Também:  Programa “Quero ser Professor, Quero ser Cientista”: entenda

Os jovens estão na verdade desinformados sobre as vantagens de fazer um curso técnico e acabam abdicando da chance de ganhar visibilidade em um mercado de trabalho competitivo. Segundo alguns levantamentos, quem conclui o curso profissionalizante tem um salário maior do que os profissionais sem formação, um acréscimo de em média 14%.

Cerca de 70% dos profissionais qualificados por cursos técnicos atuam na área que escolheram estudar.

Marcelo Neri demonstrou nos seus estudos, que as empresas estão carentes de um pessoal especializado, mas que os jovens não sabem disso. Cerca de 70% dos profissionais qualificados por cursos técnicos atuam na área que escolheram estudar, quando não, foi porque encontraram melhores oportunidades para se posicionar no mercado de trabalho. A pesquisa da FGV também revelou que apenas 8% das pessoas que ingressam na formação profissionalizante abandonam o curso.

Para aumentar o interesse dos jovens pelos cursos técnicos é necessário criar novas políticas e demonstrar os benefícios que o ensino profissionalizante traz para a carreira. A população deve superar o desinteresse e investir o tempo nos estudos, ao invés de correr atrás apenas de cargos que não fazem exigências.

Top