Idosos com diabetes: cuidados

Com o envelhecimento da população, a incidência de indivíduos portadores de diabetes mellitus tipo 2 (DM2) vem aumentando. Segundo estudos recentes, em torno de…

Um bom acompanhamento é essencial para o controle do diabetes em idosos. (Foto:Divulgação)

Com o envelhecimento da população, a incidência de indivíduos portadores de diabetes mellitus tipo 2 (DM2) vem aumentando. Segundo estudos recentes, em torno de 18% da população idosa possui diabetes, o que justifica a grande preocupação existente ao redor dessa patologia. Além disso, indivíduos idosos possuem maior chance de desenvolver complicações relacionadas à doença, quando comparados a indivíduos mais jovens. Tendo isso em vista, conheça os cuidados que se deve ter com os idosos portadores de DM2.

Leia também: Plantas que combatem o diabetes.

Explicação para a grande prevalência de DM2 entre os idosos

Para que ocorra o desenvolvimento do DM2 é necessário que exista duas condições:

  • Disfunção da célula beta, resultando em uma menor produção de insulina;
  • Resistência à insulina.

Com o envelhecimento, ocorrerá o comprometimento da produção de insulina pelas células betas, em especial pelo depósito de amiloide. Por outro lado, as mudanças corporais sofridas pelo indivíduo, resultam no acúmulo de massa gorda na região abdominal, em associação com a diminuição da atividade física, é que justifica o aparecimento da resistência à insulina.

Diagnóstico do DM2 no idoso

O indivíduo idoso, para ser considerado portador de diabetes, segue os mesmo padrões que qualquer outra pessoa, ou seja, para ser diagnosticado com diabetes, ele deve possuir:

  • Glicemia de jejum ≥ 126 mg/dl;
  • TTOG (teste de tolerância oral de glicose) ≥ 140 mg/dl;
  • Hemogobina glicada ≥ 6,5%.

É preciso realizar atividade física para evitar as complicações do diabetes. (Foto:Divulgação)

Diabetes mal controlado e idoso

Além dos riscos cardiovasculares e cerebrais comumente ocasionados pela alta taxa de glicemia, o idoso portador de DM2 mal controlado, pode sofrer com:

  • Incidência de infecções urinárias, resultantes da incontinência urinária;
  • Problemas visuais;
  • Maior risco de quedas;
  • Depressão;
  • Demência.
Leia Também:  Hérnia de disco: aprenda como tratá-la sem cirurgia

Assim, de modo geral, o DM2 mal controlado pode diminuir a vitalidade e funcionalidade do idoso, tornando-o dependente de cuidados e reduzindo sua qualidade de vida.

Cuidados para com os idosos

Devido às grandes complicações que a hiperglicemia (altas taxas de açúcar no sangue) pode trazer, é de extrema importância que se realize um controle adequado da glicemia do idoso portador de DM2. Além disso, é preciso existir um acompanhamento médico rotineiro, para que ele possa averiguar se já existe algum comprometimento ocasionado pela doença.

Saiba como conseguir remédios gratuitos para diabetes.

Evitar as complicações em idosos

Algumas medidas simples podem ajudar o paciente idoso e portador de diabetes a retardar as complicações do DM2. São elas:

  • Abandone o vício do fumo;
  • Use fio dental todos os dias;
  • Examine seus pés diariamente e mantenha-os limpos, secos e sem calosidades;
  • Não faça uso de medicamento sem a orientação de um médico;
  • Evite ficar muito tempo sem se alimentar;
  • Realize atividades físicas. No entanto, antes de iniciá-las, procure a orientação de um profissional especializado.

A demência é uma das complicações do diabetes em idosos.

Infelizmente, o número de idosos portadores de DM2 vem aumentando. Durante a velhice a chance de complicações decorrentes pelo diabetes é enorme, por isso é preciso ter alguns cuidados diante dessa doença. Após conhecer alguns deles, basta colocá-los em pratica e obter os resultados.

Veja também: Cuidados para não desenvolver diabetes.

Top