Hábito de ranger os dentes a noite: saiba o que fazer

Muitas pessoas apreensivas ou que sofrem uma alta carga emocional desenvolvem um distúrbio chamado bruxismo, isto é, elas passam a ranger os dentes enquanto…

Muitas pessoas apreensivas ou que sofrem uma alta carga emocional desenvolvem um distúrbio chamado bruxismo, isto é, elas passam a ranger os dentes enquanto dormem. Essa agitação involuntária da mandíbula atinge quase 20% da população. O problema quando persistir, poderá causar desgaste nos dentes, modificação na estrutura óssea da mandíbula e aumentar a pressão na cabeça.

Segundo especialistas, o bruxismo é um costume de extravasar os nervos. Acredita-se que o estresse é um dos grandes fatores que levam as pessoas a praticar o ato. Há uma pequena porcentagem dos casos em que os hábitos do sono são os responsáveis.

O problema do bruxismo é que com o tempo ele acabará com os seus dentes, pois, ao rangê-los o esmalte dos dentes vão se desgastando, o que poderá levar a dentes sensíveis e cáries. E mais, ranger os dentes por muito temo poderá comprometer a articulação da mandíbula, a ponto de ocasionar osteoartrite e a perda óssea da gengiva.

Acredita-se que este hábito além de ser hereditário, também é relacionado ao sexo, pois, o número de mulheres com esse tipo de problema é três vezes maior do queem homens. Esteproblema é mais comum em pessoas entre 20 e 40 anos.

O tratamento pede uma abordagem disciplinar. O primeiro passo é o uso de uma proteção noturna, desenvolvida pelo dentista. A proteção não fará você parar de ranger os dentes, mas ela impedirá que eles se desgastem.

O segundo passo é ficar de boca fechada, mas com os dentes separados. Estes apenas devem se tocar ao mastigar ou engolir. Procure soltar o maxilar para relaxar os músculos, e tente manter essa sensação.

Tomar banho quente antes de ir para cama, também poderá ser uma ótima opção, pois, o calor da água pode relaxar os músculos do maxilar temporariamente.

É importante ressaltar que nada adiantará seguir corretamente todas as instruções acima recomendadas, sem procurar saber qual é o fator que está levando ao hábito. Vale procurar a ajuda de um psicólogo para as futuras tensões e de um fonoaudiologo, para ajudar no relaxamento muscular da mandíbula.

Top