Estratégias de incentivo devem levar PIB a 4% no próximo semestre

A situação de atividade econômica está melhorando e o PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro deve apresentar crescimento mais expressivo no próximo semestre, de acordo…

O destaque foi para a indústria que evidenciou um crescimento de 1,7% seguido pelo setor de serviços, com alta de 0,6%.

A situação de atividade econômica está melhorando e o PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro deve apresentar crescimento mais expressivo no próximo semestre, de acordo com o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Leia mais: Prefeitura de São Paulo lança tíquete para regularizar valet

“Não houve nem aceleração nem desaceleração em relação ao último trimestre”, disse Mantega.“Nós vamos chegar no segundo semestre com as medidas de estímulo produzindo efeito, com crédito mais abundante, com mais capital de giro para as empresas, com mais crédito para o consumidor brasileiro, de modo que deveremos alcançar taxas de crescimento que nós gostaríamos para o ano todo, em torno de 4% e 4,5%. No segundo semestre poderemos atingir este nível de crescimento que não conseguimos atingir no primeiro semestre”, acrescentou.

De acordo com o IBGE, nos primeiros três meses do ano, o maior destaque foi para a indústria que evidenciou um crescimento de 1,7% seguido pelo setor de serviços, com alta de 0,6%. A pior atuação foi da agropecuária, que caiu 7,3% nesse intervalo.

Para Mantega, o efeito do PIB nos primeiros três meses não só foi melhor porque a agricultura obteve um baixo desempenho no andamento. “Embora a agricultura tenha peso pequeno, de cerca de 5% do PIB, ela teve uma queda de 7,3%, causada por problemas em algumas safras, quebra da safra de soja, de arroz, produção menor de arroz, de fumo.” No entanto, Mantega destaca que tudo isso “são fatores sazonais, porque a agricultura brasileira vai muito bem, é uma das mais produtivas do mundo”.

Segundo Mantega, um ponto negativo, foi o crescimento contrário da formação bruta de capital fixo.

Por outro lado, a boa noticia é  que “a indústria cresceu bem neste período”, ao progredir 1,7% no 1º trimestre.“ A indústria, que ano passado, deu contribuição para um PIB menor, este ano está tendo desempenho melhor, o que significa que o cenário econômico para a indústria, as medidas que estão sendo tomadas, têm surtido efeito e farão com que indústria tenha melhor resultado em 2012 que em 2011”, comentou.

Leia Também:  Aparelho de Ginástica Abdominal Preços Onde Comprar

Ao comentar a decorrência do setor de serviços de 0,6%, o ministro ressaltou que a atuação não foi melhor em razão do tópico intermediação financeira. “Ainda não conseguimos ter aumento de volume de crédito e queda das taxas de juros suficientes para estimular a economia, porém já estamos dando os primeiros passos nesta direção.”

Leia também: Nova classe média tem renda familiar per capita entre R$291 e R$ 1.019

Segundo Mantega, um ponto negativo, foi o crescimento contrário da formação bruta de capital fixo. “A primeira coisa que desacelera quando tem crise internacional são os investimentos.” Para ele, mesmo com o desenvolvimento de 0,2% do PIB,  “o emprego foi muito bem no Brasil”.

“Se pegarmos os quatro primeiros meses do ano, tivemos a criação de 600 mil novos empregos, o que reflete o dinamismo da indústria, principalmente a construção civil e os serviços, que continuam indo bem e empregando mão de obra. Eu diria que este é um dos melhores resultados do mundo em termos de geração de emprego e é um excelente indicador econômico”, disse.

Mantega comentou  o bom desempenho dos EUA, de acordo com o relatório publicado nesta sexta-feira. “Este é um indicador excelente que o Brasil mantém. Mantendo aumento do emprego, aumento do salário mínimo e aumento da massa salarial temos um mercado consumidor que vai continuar estimulando o crescimento da economia.”

 

Top