Dívida de cartão de crédito: como calcular

O cartão de crédito é um recurso que foi criado para criar facilidades na vida dos usuários, porém o uso imprudente e desmedido pode…

O cartão de crédito é um recurso que foi criado para criar facilidades na vida dos usuários, porém o uso imprudente e desmedido pode comprometer o orçamento. Antes de aproveitar as vantagens que o banco ou o cartão tem a oferecer, é importante que o titular busque informações para que a sua dívida não se transforme em uma bola de neve.

Parcelar a fatura do cartão de crédito não é a melhor opção. (Foto:Divulgação)

Um perigo chamado cartão de crédito

Quem usa o cartão de crédito normalmente está interessado em aproveitar o sistema de parcelamento e a praticidade do pagamento eletrônico. Sem conhecer os reais riscos da modalidade, o consumidor acaba estourando o seu limite e entrando em uma dívida que parece não ter fim. As pendências financeiras por causa do cartão pode colocar o nome do usuário na lista de inadimplentes.

Para não ser prejudicado por causa do cartão de crédito, o titular deve conhecer como uma dívida de cartão é composta e quais os meios que precisam ser adotados para driblar os juros. Se for necessário, o usuário terá o desafio de mudar o seu comportamento para poupar dinheiro e deixar de gastar aquilo que na realidade não tem.

A fatura do cartão normalmente informa que o titular pode pagar um valor mínimo do total, entretanto, isto é uma armadilha. No próximo mês, as dívidas são acumuladas e ampliadas por causa da taxa de juros, o que torna o salário insuficiente para quitar o valor numa única vez.

Veja também: Como negociar a dívida do cartão de crédito

Como calcular a dívida do cartão?

Os encargos do financiamento da fatura aumentam o valor da dívida. (Foto:Divulgação)

Considere uma pessoa que possui cartão com saldo devedor R$ 1.500 e juros rotativos de 10%. O pagamento mínimo, equivalente a 20% do total da fatura, é de 300 reais. O restante do valor, que é de R$ 1.200, será financiado, somando as tarifas de juros, que ampliam a dívida. Neste caso, somente de encargos, o usuário terá que desembolsar R$ 160.

Leia Também:  Os riscos de falar demais

No próximo mês, a dívida que era de R$ 1200, passa a ser R$ 1.360. Se a fatura inteira não puder ser paga novamente, mais encargos serão calculados e o valor total da conta crescerá gradualmente.

Para evitar o crescimento da dívida do cartão de crédito, é importante procurar pagar o valor total da fatura, sem acatar a ideia de parcelamento. E, para evitar novos gastos com o pagamento eletrônico, o usuário deve até adotar medidas radicais, como quebrar o cartão.

O titular do cartão não pode gastar além da sua renda. (Foto:Divulgação)

O consumidor deve ter o controle do seu orçamento para comprar no cartão de crédito, caso contrário nunca vai conseguir se livrar das dívidas com juros abusivos. É essencial que ele nunca ultrapasse o valor da sua renda na hora de gastar e faça um fundo de reserva para situações de emergência.

Saiba mais: Como quitar dívidas do cartão de crédito

Top