Diminuir sal reduz risco de câncer de estômago

Diminuir sal reduz risco de câncer de estômago

O câncer de estômago, também chamado de gástrico, tem feito milhões de vítimas em todo o mundo. Ele se manifesta através de sintomas como…

Por Isabella Moretti em 26/07/2012

Não basta retirar o saleiro da mesa, afinal, o sal está presente em grande quantidade nos alimentos industrializados. (Foto:Divulgação)

O câncer de estômago, também chamado de gástrico, tem feito milhões de vítimas em todo o mundo. Ele se manifesta através de sintomas como fraqueza, perda de apetite, emagrecimento, vômito com sangue e dificuldades para deglutir. Quanto antes for feito o diagnóstico, mais eficaz é o tratamento.

Alguns fatores aumentam os riscos de desenvolver tumores malignos no estômago, como o fumo e a gastrite. Um estudo recente também identificou que uma dieta com excesso de sal eleva as chances de câncer estomacal.

Saiba mais: Vida Salgada – O Sal faz mal a Sáude ?

Consumo excessivo de sal aumenta o risco de câncer de estômago

Um estudo realizado pela ONG World Cancer Research Fund (Fundo Mundial de Pesquisas sobre o Câncer, WCRF) revelou que reduzir o sal dos alimentos é uma forma de diminuir as chances de câncer de estômago. Embasada neste resultado, a entidade está alertando a população da Grã-Bretanha para salgar menos os alimentos.

Sal em excesso aumenta o risco de câncer de estômago. (Foto:Divulgação)

De acordo com a ONG, um em cada sete casos de câncer de estômago poderia ser evitado se o consumo de sal fosse controlado diariamente. As autoridades de saúde recomendam a ingestão de 6 gramas de sal por dia, mas o WCRF constatou que os britânicos estão consumindo uma quantidade acima da média, ou seja, aproximadamente 8,6 g por dia. Segundo o IBGE, o brasileiro consome 8,2 gramas de sal por dia.

Kate Mendoza, diretora de informação da ONG, declarou que câncer de estômago é uma doença difícil de ser tratada devido ao diagnóstico tardio. Além de evitar o excesso de sal, ela também recomenda adotar um estilo de vida mais saudável, valorizando principalmente uma alimentação rica em frutas e verduras.

Como 75% do sal consumido pelas pessoas já está presente nos alimentos, fica complicado reconhecer quando a quantidade é excessiva ou não. Para solucionar este problema, o WCRF propôs a inclusão de informações específicas sobre os níveis de sal no rótulo de cada item industrializado.

Os rótulos podem ajudar os consumidores a distinguir os níveis de sal dos alimentos. (Foto:Divulgação)

Com o objetivo de facilitar a distinção do consumidor ao avaliar as embalagens dos produtos, a ONG recomendou a adesão de um sistema parecido com o semáforo, no qual o vermelho representaria índice alto de sal, amarelo seria médio e verde igual a baixo.

Embora a medida de classificar o nível de sal de cada alimento tenha impacto positivo na saúde da população, os fabricantes e supermercados desaprovam a proposta.

Veja também: Alimentos ricos em sódio: quais são

Os males do consumo exagerado de sal

O sal, quando consumido em excesso, causa:

– Hipertensão

– Infarto

– Doenças cardiovasculares

– Úlcera gástrica

– Problemas renais

 

Top