Conheça as novas regras para poupança

O Governo anunciou mudanças no sistema de poupança e as novas regras foram sancionadas, através de uma medida provisória que foi publicada hoje (4)…

O Ministro da Fazenda afirma que os investidores não serão prejudicados.

O Governo anunciou mudanças no sistema de poupança e as novas regras foram sancionadas, através de uma medida provisória que foi publicada hoje (4) no “Diário Oficial da União”. A resolução fará com que o Banco Central reduza ainda mais a taxa básica de juros e aqueça a concorrência entre os bancos.

O ministro da fazenda Guido Mantega explicou como o novo cálculo do rendimento vai funcionar e declarou ainda que a medida trará diversos benefícios para a economia nacional e para a sociedade brasileira. De acordo com Mantega, as taxas de juros serão reduzidas e isto fará com que o investidor opte pela poupança, ao invés da renda fixa.

As informações publicadas no “Diário Oficial da União” afirmam que todas as instituições financeiras são obrigadas a acatar a medida provisória, alterando assim a rentabilidade dos depósitos efetuados a partir desta sexta-feira. Elas também deverão adotar um sistema interno para ter o controle dos saldos das poupanças e prestar contas ao Banco Central, caso seja necessário. Os investimentos realizados anterior ao dia 4 de maio não serão afetados pelas mudanças.

Leia mais: Rendimento da poupança será menor

Como fica a poupança?

No Brasil, há mais de R$ 431 bilhões investidos na poupança.

Antes da medida provisória, a poupança rendia 6,17% ao ano mais TR, sem levar em conta o valor da taxa Selic. As mudanças não afetam os investidores, mas valerá para os futuros investimentos. As alterações somente serão viabilizadas quando a taxa de juros estiver em 8,5%, valor este que o Banco Central teve aprovar nos próximos dias. Atualmente, a taxa está fixada em 9%.

A poupança passará a ter um rendimento de 70% da taxa Selic (taxa básica de juros da economia). Mas, esta mudança não vai alterar as principais características da cardeneta, que normalmente atrai investidores por ser simples, versátil, não oferecer riscos e não ter custos.

Quando o Selic cair mais, a renda fixa pagará menos do que a poupança, fazendo com que os investidores efetuem os depósitos pela cardeneta. Com o dinheiro da renda fixa preservado, o Governo tem condições para pagar as suas contas. No entanto, se os investimentos não forem efetuados na poupança, as fontes de recursos para os financiamentos de imóveis serão menores.

Dilma Rousseff acompanhou e autorizou as mudanças.

As novas regras da cardeneta de poupança foram adotadas depois de muitas avaliações e certamente também terão impacto político. A medida foi aprovada e apoiada por Dilma Rousseff, cujo discurso alegou que a queda de juros trará vantagens para a população.

Antes de autorizar a mudança, a presidente procurou se comunicar com a população para que a imagem do seu Governo não fosse afetada. Qualquer semelhança com o confisco da poupança do Plano Collor também foi descartada.

A caderneta é um investimento bastante comum entre os brasileiros. Estima-se que existam 105 milhões de contas poupança no país e R$ 431 bilhões investidos. Já a renda fixa, possui fundos equivalentes a R$ 510 bilhões.

 

Top