Aprovado projeto de Cura gay por Comissão de Direitos Humanos

Aprovado projeto de Cura gay por Comissão de Direitos Humanos

Nesta Terça-Feira, dia 18 de Junho de 2013, foi aprovado pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara o Projeto de Cura Gay, que visa…

Por Paulo Lima em 19/06/2013

Nesta Terça-Feira, dia 18 de Junho de 2013, foi aprovado pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara o Projeto de Cura Gay, que visa propor recursos e tratamentos para reverter à homossexualidade entre os cidadãos. A proposta foi presidida pelo deputado Marco Feliciano que, após muito tempo de análise e adiamento desta questão pelo parlamento, conseguiu coloca-la em votação, rumo à estruturação de uma nova lei. Saiba mais:

Conheça a proposta lançada pelo pastor e deputado Marco Feliciano (Foto: Divulgação)

Detalhes sobre o projeto

O Projeto Cura Gay se inicia com um maior apoio dos psicólogos e psicanalistas no tratamento de homossexuais, extinguindo dois artigos do Conselho Federal de Psicologia já em vigor que proíbe os profissionais dessas áreas na intervenção com ações e recursos para reverter a homossexualidade.

Segundo os relatores da Comissão, a proposta do Cura Gay afirma que é um direito do profissional conduzir sua abordagem conforme a linha de atuação que estudou e o posicionamento que prefere adotar acerca do homossexualismo. O projeto de lei também constitui direito ao paciente que deseja optar por buscar este tipo de atendimento para satisfazer seus anseios. Todavia, uma série de contradições e protestos contra o pastor Marco Feliciano já estão acontecendo visto que, de acordo com os manifestantes que ergueram cartazes, “não é necessária a cura para quem não está doente”.

O ator Bruno Gagliasso demonstra sua indignação com a aprovação do projeto (Foto: Divulgação)

A cura gay e a democracia

Uma série de polêmicas do pastor e deputado Marco Feliciano vem atualmente causando revolta não só entre o público LGBT, como também entre grandes astros da música, cinema, televisão e a sociedade de uma forma geral que, acima de tudo, defende que a aprovação desta lei interferirá no conceito democrático de nosso país.

Os recentes protestos que se seguem pela mudança na estrutura organizativa do Brasil, principalmente a tomada da faixada do Congresso Nacional, também refletem a insatisfação do povo brasileiro ante este acontecimento. A homossexualidade declarada como uma doença que precisa ser curada e não apenas como uma liberdade de escolha do cidadão, impacta de imediato com a democracia, ampliando o fundamentalismo religioso e incentivando a divergência imposta pelo preconceito entre as pessoas.

A aprovação do projeto impacta com os preceitos da democracia, retirando a visão sobre o homossexualismo como escolha (Foto: Divulgação)

Por esta razão, vale a pena revermos os conceitos adotados até então, uma vez que a aprovação de uma lei para a Cura Gay não considerando o homossexualismo como uma variação natural da sexualidade humana e sim como uma patologia, pode aumentar ainda mais a diferença entre os cidadãos, apenas causando a desunião e discórdia entre o povo brasileiro.

Top