Água-Viva – Cuidados, tratamento

Uma situação desagradável, que costuma acontecer a alguns banhistas que se divertem nas praias de todo o Brasil, é a queimadura provocada pelas águas-vivas.…

Por Andre em 30/01/2012

Em contato com a pele, a água-viva libera toxinas que causam pequenas queimaduras

Uma situação desagradável, que costuma acontecer a alguns banhistas que se divertem nas praias de todo o Brasil, é a queimadura provocada pelas águas-vivas. Estes animais, que têm uma presença marcante no litoral do país, são quase transparentes, o que dificulta a sua visualização na água. Normalmente, as pessoas só sentem um ardor na pele, que surge logo após o contato direto com ela.

A água-viva é um animal marinho que já existe há centenas de milhões de anos. Ela pertence ao filo dos Cnidários e está na classe dos Cifozoários. O tamanho desta criatura é bastante variável, podendo medir cerca de 2 centímetros e chegar a mais de 2 metros de comprimento. As maiores possuem tentáculos gigantescos, que podem chegar aos 30 metros de comprimento. Quando em sua forma adulta, a água-viva recebe o nome de medusa. É na base desses tentáculos que ficam os nervos sensoriais do animal, que servem para orientar o seu movimento e detectar odores. O corpo dela é muito simples, sendo composto de aproximadamente 98% de água. Não existem ossos, coração ou mesmo cérebro.

Motivos da queimadura

As águas-vivas podem chegar a 2m de comprimento. No Brasil, são mais comuns as de pequeno porte

Como a água-viva depende do movimento das correntes marítimas para se movimentar, muitas delas acabam chegando às praias, trazidas pelas ondas. Ao se “encontrar” com um banhista distraído, ela libera toxinas na pele da pessoa, que produzem queimaduras e sensação de ardor. Essas toxinas contêm substâncias paralisantes, necrosantes e destruidoras de glóbulos vermelhos, e são as mesmas utilizadas para capturar outros animais que servirão de alimento. A intensidade da queimadura dependerá do local atingido, por isso é bom tomar cuidados com o rosto, as mãos, coxas e abdômen, que são as regiões do corpo mais sensíveis.

Na maior parte dos casos, as queimaduras são leves, com a dor durando não mais que um dia. Porém, existem algumas espécies, não encontradas no Brasil, que podem causar ferimentos fatais.

Cuidados

A pessoa que for queimada pelas toxinas da água-viva, deve ser imediatamente retirada da água. Além disso, é recomendado:

– Não encostar na área afetada, pois pode queimar a mão e espalhar o veneno para outras partes do corpo;

– Não usar água doce para levar o ferimento, já que ela ativa o veneno. Use a própria água do mar ou soro fisiológico gelado;

– Não coçar nem esfregar;

– Se algum pedaço do animal ficar grudado na pele da vítima, use luvas ou uma pinça para retirá-lo.

Tratamentos

Em caso de queimadura, é recomendado lavar o local afetado com água do mar ou soro fisiológico

Como na maioria dos casos se trata de um ferimento simples, basta seguir as dicas acima, não se esquecendo de lavar o ferimento com água do mar ou soro fisiológico. Muita gente também usa o vinagre para jogar sobre a queimadura, mas não há um consenso entre os especialistas sobre isso.

Depois de prestados os primeiros socorros, é indicado procurar um médico, principalmente se a vítima for alérgica e se tiverem aparecido bolhas na pele. Caso haja infecção, será necessário usar antibiótico. A pessoa queimada deve evitar tomar sol durante alguns dias.

Top