Menu

Futebol

Atualizado em 10 de novembro de 2011, às 17:00 por Redacao
Você está em: MundoDasTribos > Esportes > Vasco bate o Universitário de virada e obtém classificação heróica na Sul-Americana

Depois de estar perdendo por 2 a 1, Dedé brilhou, a equipe carioca marcou quatro gols na etapa final e fez a festa da torcida vascaína.
318083 dede vasco Vasco bate o Universitário de virada e obtém classificação heróica na Sul AmericanaHerói da classificação, zagueiro Dedé marcou dois gols e deu passe para outro

A partida em São Januário foi daquelas de tirar o fôlego dos torcedores. Confusão, expulsões, viradas e muitos gols. Foi neste cenário que o Vasco venceu o Universitário de virada por 5 a 2 e se classificou para as semifinais da Copa Sul-Americana.

Na primeira etapa, o Vasco saiu na frente com gol de Diego Souza, de pênalti. O Universitário empatou a partida e jogou um balde de água fria na empolgação dos vascaínos. No fim da etapa inicial, jogadores das duas equipes se envolveram em uma confusão, que culminou na expulsão do vascaíno Diego Souza e do volante Gonzales, do Universitário.

Para piorar as coisas, logo no primeiro lance do segundo tempo, a equipe peruana chegou ao segundo gol, com Rabanal. Entretanto, no lance seguinte, Elton empatou a partida e recolocou o Vasco no jogo. A partir daí, brilhou a estrela do zagueiro Dedé. Com dois gols e uma assistência para o gol de Alecsandro, o marcador definiu a épica vitória cruz-maltina. Agora, o Vasco espera o vencedor do duelo entre Universidad de Chile e Arsenal da Sarandí, da Argentina.

Primeira etapa nervosa

Com cara de mata-mata, a partida começou bastante tensa em São Januário. Faltas, reclamações e cartões para os dois lados deram o tom dos primeiros dez minutos de jogo. Aos nove, o Vasco colocou a bola no chão e quase abriu o placar. Eder Luis avançou pela direita, cruzou na área, Elton deu um leve toque na bola e acertou a trave.

O Universitário adotou uma postura bastante defensiva, com praticamente todos os atletas na linha defesa. Porém, o Vasco trabalhava a bola com tranquilidade e, aos poucos, ameaçava os peruanos. Aos 19, Diego Souza levantou a bola na área, Elton se antecipou ao zagueiro, finalizou, mas a bola foi para fora.

Três minutos depois, a equipe vascaína pressionou a defesa do Universitário. A bola sobrou para Diego Souza finalizar e o goleiro espalmou nos pés de Juninho, na pequena área. Entretanto, quando o Reizinho preparou o chute, foi calçado pelo zagueiro e o árbitro assinalou o pênalti. Na cobrança, Diego Souza com categoria marcou o primeiro: 1 a 0 Vasco.

A equipe carioca seguia melhor no jogo, mas levou um contra-ataque mortal, aos 32. Flores levou a bola pelo lado direito, levantou na área e encontrou o atacante Ruidíaz, que deu um toque despretensioso, encobriu Fernando Prass e deixou tudo igual: 1 a 1.

O gol sofrido esmoreceu a torcida vascaína e abateu os jogadores do Vasco em campo, que tentavam o segundo gol de uma maneira desorganizada. No último lance da primeira etapa, Fagner arriscou de longe e obrigou o goleiro Llontop a fazer grande defesa.

Ao término do primeiro tempo, os jogadores das duas equipes se envolveram em uma confusão na saída do gramado. Por conta disso, antes mesmo do reinício do jogo, o árbitro Carlos Amarilla expulsou o meia Diego Souza, do Vasco, e o volante Gonzales, do Universitário.

Segunda etapa eletrizante

A situação do Vasco ficou ainda mais difícil logo aos dois minutos da etapa final. Após cobrança de escanteio, a bola sobrou para Rabanal, que encheu o pé, a bola ainda desviou na zaga e tirou o goleiro Fernando Prass do lance: 2 a 1 Universitário.

Entretanto, a resposta vascaína foi imediata. Juninho cruzou na cabeça de Elton, que empatou o jogo. A equipe cruz-maltina voltava a precisar de três gols para se classificar à semifinal.

Aos 12, a partida pegou fogo. Como um verdadeiro ponta, o zagueiro Dedé foi até a linha de fundo, bateu cruzado na direção do gol e contou com uma falha absurda do goleiro Llontop para marcar o terceiro gol do Vasco.

O duelo continuava bastante nervoso em São Januário. Tanto que aos 16 minutos, o lateral do Universitário, Rabanal, agrediu Fagner, sem bola, e foi expulso.

Com um a mais e precisando de mais dois gols para avançar de fase, os cariocas se lançaram ao ataque. Tanto que aos 27, o trem bala da colina foi letal. Allan levantou a bola na medida para Dedé, que subiu com classe e cabeceou sem chances para o goleiro: 4 a 2 Vasco. Faltava apenas mais um gol para a heroica classificação.

Com bastante espaço pelo lado direito, a equipe carioca pressionava o Universitário. Aos 33, Allan serviu Alecsandro, que finalizou com força por cima do gol.

Na base da raça, a pressão vascaína surtiu efeito aos 36, com Alecsandro. Juninho cobrou escanteio na área, Dedé desviou de cabeça e Alecsandro se antecipou ao goleiro: 5 a 2.

Depois do quinto gol, a equipe vascaína apenas administrou o resultado e garantiu a classificação.