Menu

Saúde

Atualizado em 23 de abril de 2011, às 22:20
Você está em: MundoDasTribos > Bem Estar > Sintomas e Tratamento da Dengue

sintomas e tratamento da dengue1 Sintomas e Tratamento da Dengue

Caro leitor (a) todo ano é feito uma campanha enorme em todas as cidades sobre a dengue, visto que em algumas regiões brasileiras ocorreram casos sérios que levaram alguns indivíduos a óbitos por falta de tratamento adequado, portanto previna-se. A dengue não é transmitida de pessoa para pessoa, nem mesmo através de alimentos ou uso de objetos.

No verão é o periodo que a dengue faz uma grande quantidade de vítimas, pois o mosquito transmissor encontra excelentes condições de reprodução, através as altas temperaturas e a grande quantidade de chuvas, fatores estes que aumenta e melhora  as condições para a reprodução do Aedes Aegypti. A água parada, lata, pneus, vasos de plantas, caixas d’água e outros locais deste tipo são usados para fêmea do inseto depositar seus ovos.

Um ovo de Aedes Aegypti pode sobreviver em ambiente seco por aproximadamente 400 dias, se neste período ele entrar em contato com água, poderá gerar uma larva e, em seguida, o mosquito transmissor, outro fator que faz das grandes cidades locais preferidos deste tipo de mosquito é a grande quantidade de seu principal alimento que é o sangue humano.

A Dengue é uma doença causada por vírus, este é transmitido para as pessoas através da picada da fêmea contaminada do mosquito Aedes Aegypti, a doença pode se manifestar de duas formas sendo esta a dengue clássica e a dengue hemorrágica.

A dengue clássica seus sintomas são mais leves, a pessoa doente tem febre alta, dores de cabeça e nas costas, regiões atrás dos olhos, a febre começa a baixar a partir do quinto dia e os sintomas a diminuir a partir do décimo dia, dificilmente pode ocorrer complicações, mas em alguns casos o doente pode apresentar hemorragias leves no nariz e boca.

A dengue hemorrágica ocorre quando a pessoa e contaminada pelo mosquito transmissor pela segunda vez, nessa situação a doença manifesta-se de maneira mais grave, os cinco primeiros dias os sintomas são semelhantes ao da dengue clássica, mas a partir do quinto dia algumas pessoas podem apresentar hemorragias em muitos órgãos e choque circulatório.

Pode acontecer do individuo ter vômitos, dificuldades de respiração, tontura, dores abdominais intensas e constantes e presença de sangue nas fezes, se o individuo não procurar atendimento médico e realizar o tratamento adequado a ele pode vir a falecer.

Não existe tratamento específico para o tratamento da dengue clássica, para diminuir os sintomas são recomendado repouso e alimentação com frutas, legumes e ingestão de muito líquido, os doentes não podem tomar analgésicos ou antitérmicos com Aspirina, Aas, Melhoral, Doril entre outros, estes favorecem o aparecimento e desenvolvimento de hemorragias nos organismos.

No caso de dengue hemorrágica deve existir um rigoroso acompanhamento médico em função dos possíveis casos de agravamento com perdas de sangue e choque circulatório.

sintomas e tratamento da dengue2 Sintomas e Tratamento da Dengue

Como não existem formas de erradicar totalmente o mosquito transmissor, a única forma de combater a doença é eliminar os locais onde a fêmea se reproduz,  não deixando a água se acumular em recipientes como, por exemplo, vasos, calhas, pneus, cacos de vidro, latas , mantenha fechadas as caixas d’água, poços e cisternas, não cultive plantas em vasos com água, use terra ou areia nestes casos, trate as piscinas com cloro e fazendo a limpeza constante, o ideal é deixá-las cobertas ou vazias quando não for usar por um longo período, mantenha as calhas limpas e desentupidas, avise um agente público de saúde do município caso exista alguma situação onde há o risco de proliferação da doença.

Não facilite a procriação do mosquito, dengue pode matar.

sintomas e tratamento da dengue3 Sintomas e Tratamento da Dengue

A categoria Saúde do portal Mundodastribos.com é um espaço informativo de divulgação e educação sobre os temas relacionados à saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento, sem antes consultar um profissional de saúde.