Menu

Saúde

Atualizado em 16 de agosto de 2012, às 8:20
Você está em: MundoDasTribos > Bem Estar > Ministério da Saúde oferecerá duas novas vacinas a menores de 5 anos

As vacinas pentavalente e a VIP foram incluídas no calendário básico de vacinação infantil. A nova campanha do Ministério da Saúde começa dia 18 de agosto.

O Ministério da Saúde decidiu incluir duas novas vacinas no calendário básico de vacinação. A partir do dia 18 de agosto, crianças com menos de 5 anos de idade poderão receber a pentavalente e a VIP, que reforçam a imunidade contra diversas doenças.

502217 Ministério da saúde oferecerá duas novas vacinas a menores de 5 anos Ministério da Saúde oferecerá duas novas vacinas a menores de 5 anosMinistério da Saúde está investindo em uma campanha para promover as duas novas vacinas. (Foto:Divulgação)

Campanha de Vacinação Infantil 2012

Entre os dias 18 e 24 de agosto, o Ministério da Saúde pretende realizar uma grande campanha para conscientizar os pais sobre a importância das novas vacinas. Além de garantir o acesso às novas imunizações, também serão aplicadas neste período de sete dias as vacinas atrasadas.

A campanha de vacinação não vai disponibilizar apenas a pentavalente e a VIP, mas também as vacinas BCG, hepatite B, rotavírus, pneumocócica 10 valente, meningocócica C conjugada, febre amarela, tríplice viral e DTP. Desta forma, a iniciativa do Ministério da Saúde se revela uma ótima oportunidade para atualizar a caderneta de vacinas das crianças.

Além de oferecer novas vacinas e garantir as imunizações atrasadas, o Ministério da Saúde vai distribuir doses de vitamina A, sobretudo nas cidades situadas nas regiões Norte e Nordeste. O componente nutricional tem como objetivo reduzir a mortalidade infantil, evitar infecções e auxiliar no desenvolvimento cognitivo.

Segundo o Ministério da Saúde, o investimento da nova campanha de vacinação é de R$ 18,6 milhões. Serão 34 mil postos fixos e vários postos volantes para atender a população. Aproximadamente 350 mil pessoas estarão envolvidas na ação, com o objetivo de vacinar em média 14,1 milhões de crianças.

Leia também: Segunda Fase da Vacinação Contra A Paralisia Infantil

Saiba mais sobre as duas novas vacinas

502217 Ministério da saúde oferecerá duas novas vacinas a menores de 5 anos 1 Ministério da Saúde oferecerá duas novas vacinas a menores de 5 anosA Pentavalente combina a vacina contra hepatite B à tetravalente. (Foto:Divulgação)

Vacina Pentavalente
A Vacina Pentavalente é injetável e com uma única aplicação defende o organismo de uma série de enfermidades. As doses, que serão administradas aos dois, quatro e seis meses de vida, suprem as imunizações garantidas por duas vacinas distintas, isto é, a tetravalente e a vacina contra a hepatite B. Após 12 meses é necessário aplicar o reforço da dose e o mesmo procedimento deve ser repetido quando a criança tiver 4 anos de idade.

As crianças menores de cinco anos, que tomarem a Pentavalente corretamente, estarão protegidas contra difteria, tétano, coqueluche, meningite, hepatite B, entre outras doenças.

Para dar conta da demanda, o Ministério da Saúde está disponibilizando uma remessa de 726 mil doses em todo o Brasil.

Vacina Inativada Poliomielite (VIP)

502217 Ministério da saúde oferecerá duas novas vacinas a menores de 5 anos 2 Ministério da Saúde oferecerá duas novas vacinas a menores de 5 anosVacina contra paralisia infantil ganhou versão injetável. (Foto:Divulgação)

A VIP deixou de ser apenas oral e ganhou uma versão injetável a partir desta campanha. Ela entra no calendário básico de vacinação com o objetivo de combater a paralisia infantil. Para se proteger contra a doença, a criança deve tomar a primeira dose aos dois meses e a segunda aos quatro meses de vida. Já a terceira e quarta dose, que acontecem sucessivamente aos seis e quinze meses, continuam sendo em gotinhas (VOP).

Veja como ficou o Calendário vacinação infantil 2012.

A categoria Saúde do portal Mundodastribos.com é um espaço informativo de divulgação e educação sobre os temas relacionados à saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento, sem antes consultar um profissional de saúde.