Menu

Saúde

Atualizado em 10 de junho de 2013, às 12:40 por Analu
Você está em: MundoDasTribos > Bem Estar > Estresse prejudica a produção do leite materno

O estresse pode prejudicar a produção de leite materno e também a amamentação. Saiba mais sobre o assunto.

O estresse e o estado emocional da mãe podem diminuir o fluxo de leite. Porém, se a mulher continua a amamentar seu filho, o estresse não consegue bloquear a produção láctea. Saiba mais sobre o assunto e veja como o estresse prejudica a produção de leite materno.

630861 A amamentação deve ser tranquila. Foto divulgação Estresse prejudica a produção do leite materno A amamentação deve ser tranquila. (Foto: divulgação)

Amamentação

Muitas mães não conseguem amamentar, o que acaba resultando na secagem do leite. Esse problema pode estar relacionado ao nível de estresse que a mulher sofre.  Não existe leite fraco e é muito raro mulheres que não produzem leite. O que pode existir são fatores, físicos e emocionais, que impedem o bom funcionamento do organismo e de seus hormônios, prejudicando a amamentação.

Os seios começam a se preparar para a amamentação logo no início da gravidez. Os hormônios progesterona e estrógeno, produzidos pela placenta, deixam os seios maiores e mais sensíveis.  Após o nascimento do bebê, o corpo da mulher joga na corrente sanguínea um hormônio chamado prolactina, que vai até os alvéolos onde o leite é produzido.

A sucção do bebê ativa as terminações nervosas do mamilo, que enviam informações ao cérebro informando que o pequeno irá mamar. Dessa maneira é liberada a ocitocina, que faz com que os músculos da mama se contraiam e que o leite materno chegue aos mamilos, permitindo uma boa alimentação para o bebê.

630861 O estresse na amamentação deve controlado. Foto divulgação Estresse prejudica a produção do leite materno O estresse na amamentação deve ser controlado. (Foto: divulgação)

Estresse pode prejudicar a produção de leite materno

Uma situação de estresse intenso pode fazer com que a mãe produza menor quantidade de leite ou desestimula o reflexo de descida do líquido. Os hormônios do estresse são capazes de bloquear a ação da prolactina e da ocitocina.

Alguns pais não ajudam a mãe durante a amamentação, seja com os filhos, com a casa ou com tarefas simples enquanto a mulher está dando o peito para a criança. Essas situações fazem com que mãe fique preocupada com muitas coisas e gera o estresse. Problemas no trabalho ou depressão também são fatores que inibem a produção de leite.

Além disso, o estresse materno faz com que essas mulheres encontrem mais dificuldades em acomodar a criança no peito. Com isso, o bebê poderá não abocanhar direito a aréola, sugando o leite com deficiência e se alimentando pouco.

Como a sucção do leite libera ocitocina, a descida do leite também será prejudicada. A mamãe deve amamentar com muita tranquilidade para que o leite desça e o bebê se alimente adequadamente.

630861 O estresse prejudica a amamentação do bebê. Foto divulgação Estresse prejudica a produção do leite materno O estresse prejudica a amamentação do bebê. (Foto: divulgação)

A amamentação é indispensável para a saúde e bem-estar do bebê. Por isso, ela deve ser feita de forma tranquila e livre de estresse para que não prejudique a produção do leite materno. O ideal é que a mãe procure amamentar o pequeno em um ambiente calmo e tranquilo. Além disso, ela pode optar por realizar atividades que aliviam o estresse nesse período.

A categoria Saúde do portal Mundodastribos.com é um espaço informativo de divulgação e educação sobre os temas relacionados à saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento, sem antes consultar um profissional de saúde.