Menu

Criança

Atualizado em 25 de setembro de 2012, às 7:15
Você está em: MundoDasTribos > Bem Estar > Crianças obesas apresentam menos sensibilidade aos sabores dos alimentos

A sensibilidade ao sabor dos alimentos é menor em crianças obesas, por isso elas comem mais e demoram a registrar o gosto.

Uma pesquisa realizada por Johanna Overberg e sua equipe, revelou que as crianças obesas apresentam menos sensibilidade aos sabores dos alimentos. Com o paladar prejudicado, os pequenos acabam comendo mais para finalmente obter a sensação de prazer através do sabor. Os resultados do estudo foram publicados na revista Archives of Disease in Childhood.

518809 Crianças obesas apresentam menos sensibilidade aos sabores dos alimentos 1 Crianças obesas apresentam menos sensibilidade aos sabores dos alimentosCrianças obesas não sentem os sabores dos alimentos e precisam comer até perceber o gosto. (Foto:Divulgação)

Percepção ao sabor é menor em crianças obesas

Para chegar à conclusão de que as crianças acima do peso sentem menos os sabores dos alimentos, os pesquisadores avaliaram 94 participantes, com peso considerado acima do normal. O estudo também contou com a participação de 99 crianças e adolescentes obesos. Todos tinham idade entre seis meses e 18 anos, desfrutavam de boa saúde e não faziam uso de remédios capazes de alterar a percepção do sabor.

Os participantes foram submetidos a testes que analisaram a sensibilidade de sabor através de 22 tiras gustativas, colocadas na língua. Elas foram preparadas com cinco sabores, com quatro níveis de intensidade. Para avaliar com mais profundidade a percepção ao sabor, os pesquisadores também trabalharam com duas tiras que não tinham gosto algum.

518809 Crianças obesas apresentam menos sensibilidade aos sabores dos alimentos Crianças obesas apresentam menos sensibilidade aos sabores dos alimentosParticipantes apresentaram dificuldades para distinguir sabores, principalmente o salgado do umami e o amargo do salgado. (Foto:Divulgação)

Os jovens só consumiram água uma hora antes do teste. Eles, então começaram a somar pontos na medida em que acertavam o sabor de cada tira, que tinha pontuação máxima de 20. Em geral, os participantes demonstraram mais aptidão para distinguir o doce do salgado, mas apresentaram dificuldades para discriminar o salgado do umami e o amargo do salgado.

Os participantes que sofriam com obesidade apresentaram dificuldades para identificar as diferentes sensações de sabores. Enquanto as crianças normais conquistaram uma pontuação de 14, as obesas registraram uma média de 12,6 pontos.

Saiba mais: Crianças obesas apresentam maiores riscos para problemas cardíacos

Crianças obesas comem mais para sentir o sabor

Além de apresentar dificuldades especialmente para distinguir os sabores salgado, umami e amargo, as crianças obesas não conseguiram definir corretamente os níveis de doçuras. Já os jovens com peso normal avaliaram melhor a intensidade do doce, principalmente aqueles com maior idade. Esta tendência não foi visualizada entre os participantes obesos.

518809 Crianças obesas apresentam menos sensibilidade aos sabores dos alimentos 2 Crianças obesas apresentam menos sensibilidade aos sabores dos alimentosA intensidade do doce também não foi bem avaliada pelas crianças obesas. (Foto:Divulgação)

A menor sensibilidade nas papilas gustativas faz com que a criança acima do peso não seja capaz de identificar com tanta precisão os sabores: salgado, doce, amargo, azedo e umami. As causas ainda não são claras, mas tudo indica que os genes, os hormônios, a cultura e o contato com os sabores no início da vida influenciaram os resultados.

Em outros estudos, os pesquisadores já tinham notado que a maior sensibilidade ao sabor ajuda a reduzir a quantidade de comida ingerida por refeição, afinal, o indivíduo se sente satisfeito logo após sentir o gosto e não precisa repetir o prato várias vezes para registrar corretamente a sensação de sabor.

Veja também: Hábitos que previnem obesidade infantil