Você está em: MundoDasTribos > Bem Estar > Bebês que nascem de pais mais velhos correm risco de ter autismo

Bebês que nascem de pais mais velhos correm risco de ter autismo

Imagem: (Foto Divulgação)

Bebês que nascem de pais, com idade acima de 35 anos, possuem mais risco de criar autismo futuramente, de acordo com um recente estudo realizado na Dinamarca. O estudo também concluiu que o risco é o mesmo, tanto se um dos pais apresentar mais de 35 anos quanto se os dois apresentarem essa ou uma idade superior. O estudo foi divulgado no Annals of Epidemiology.

De acordo com os autores do estudo, esse talvez seja um sinal de que os sêmens ou óvulos mais velhos talvez passem por mais transformações que podem acarretar riscos de crianças com autismo. No entanto, a pesquisa não deixou claro sobre a razão pela qual os pais com idades acima de 35 anos apresentaram mais bebês com o problema.

Pesquisa

Foram colhidas informações de pouco mais de 9.500 crianças que haviam sido examinadas com autismo. Os especialistas notaram que, pais com idades acima de 35 anos apresentaram um risco de 28% maior de ter filhos com a doença, do que aqueles com idade inferior. Entre as mulheres, essa índice variou entre 21% e 37%. Esse número foi de 37% a 55% em relação aos homens acima de 40 anos. Em comparação às mulheres, a diferença foi de 28% a 65%. Quando a mãe e o pai eram mais velhos não houve acréscimo dos riscos comparado a quando apenas um apresentava a idade mais avançada.

Para os pesquisadores, as implicações mais surpreendentes foram aqueles que apontaram que os riscos não majoravam com a adição da idade do pai e mãe. No entanto, uma explicação para esse fato ainda não existe. Mais estudos serão necessários para que se possa garantir com exatidão que os pais mais velhos possuem mais chances de conceber filhos com autismo.

Recomendado para você
Bem Estar

Leishmaniose: sintomas, causas, tratamento

Bem Estar

Endoscopia: como é feita, para que serve

Beleza

Dicas de penteados com Babyliss

Bem Estar

Conheça as frutas do Inverno

Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *