Síndrome de Tourette: o que é?

A Síndrome de Tourette é uma doença de origem neurológica, que acomete uma parte considerável da população mundial, necessitando de acompanhamento médico especializado. Normalmente,…

Por Editorial MDT em 11/01/2012

Os tiques são manifestações da Síndrome de Tourette.

A Síndrome de Tourette é uma doença de origem neurológica, que acomete uma parte considerável da população mundial, necessitando de acompanhamento médico especializado. Normalmente, suas primeiras manifestações acontecem durante a infância. Conheça um pouco mais sobre essa síndrome.

☰ CONTEÚDO

Definição

A síndrome de Tourette é uma desordem neurológica ou neuroquímica caracterizada por tiques, podendo ser de origem motora ou vocal. As manifestações ocorrem da mesma maneira e com a mesma frequência, porém mudam sua intensidade e não existem duas pessoas no mundo que apresentem os mesmos sintomas.

Na maioria dos casos, pode haver mudanças no tipo de tique durante a doença em uma mesma pessoa. Ou seja, a cada mês ou mais, ela pode apresentar um tique motor e depois iniciar com um tique vocal. O fator de piora envolvido é o estresse e pode estar associado a sintomas obsessivo-compulsivos, além de transtorno de hiperatividade. É importante mencionar que a manifestação dos tiques é independente dos problemas emocionais.

Evolução da doença

O aparecimento da síndrome geralmente ocorre durante a infância ou a juventude, sendo mais comum acometer crianças do sexo masculino. Em alguns casos, pode ocorrer a amenização dos sintomas ao chegar à vida adulta.

 Qual o quadro clínico?

A maioria dos pacientes portadores da síndrome de Tourette inicia a apresentação de sintomas com tiques motores como:

  • Piscar;
  • Franzir a testa;
  • Balançar a cabeça;
  • Contrair os músculos da face;
  • Contrair músculos abdominais;
  • Tocar em objetos próximos que, às vezes, parecem ser proposital.

Em relação aos tiques vocais podemos citar:

  • Ruídos;
  • Tossir;
  • Fungar;
  • Limpar a garganta;
  • Emissão de palavras de forma involuntária.

Caretas involuntárias são apresentações comuns do problema.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico dessa síndrome é eminentemente clínico, sendo necessário o acompanhamento de um médico especialista.

De acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM), é preciso seguir alguns critérios:

  • Múltiplos tiques motores e um ou mais tiques vocais em algum momento durante a doença, embora não necessariamente ao mesmo tempo;
  • Os tiques ocorrem muitas vezes ao dia, quase todos os dias ou intermitentemente durante um período de mais de um ano, sendo que durante esse período jamais existe uma fase livre de tiques superior a três meses consecutivos;
  • A perturbação causa sofrimento ou prejuízo significativo no funcionamento social, ocupacional ou em áreas importantes da vida do indivíduo;
  • O início dá-se antes dos 18 anos de idade;
  • A perturbação não se deve aos efeitos fisiológicos diretos de uma substância ou a uma condição médica geral.

Tratamento

A Síndrome de Tourette não tem cura até o momento. No entanto, o tratamento serve para controlar as suas manifestações. Como cada indivíduo apresenta um grau e um tipo de sintoma, seu tratamento é individualizado. Em alguns casos, é necessária a indicação de medicamentos antipsicóticos, além da terapia comportamental cognitiva.

Os movimentos involuntários são capazes de atrapalhar a vida social da criança

Resumindo, a Síndrome de Tourette é uma doença com origem de uma desordem do sistema nervoso central, dando como resultado manifestações motoras ou vocais, popularmente conhecidas como tiques. Estes são percebidos durante a infância do indivíduo portador e, por vezes, pode afetar a convivência social. Até o momento não existe cura para a síndrome, o que existem são medicamentos que ajudam no controle dos sintomas.

Assim, recomendamos que ao perceber que seu filho, ou alguma criança próxima, esteja apresentando movimentos involuntários, procure um atendimento médico especializado.

Top