Santander corta juros para pessoa física e empresas

Após o anúncio do Bradesco, chegou a vez do Santander do Brasil divulgar uma nova redução das taxas de juros. No caso do Santander…

O Santander tem taxas de juros reduzidas novamente (Foto: Divulgação)

Após o anúncio do Bradesco, chegou a vez do Santander do Brasil divulgar uma nova redução das taxas de juros. No caso do Santander a derrubada atinge várias linhas de financiamento para clientes que tiverem maior relacionamento com o banco. A novidade abrange cheque especial, financiamentos de automóveis, crédito pessoal e cartões de crédito.

Também foi registrada mudanças em linhas de crédito para pequenas e médias empresas. A instituição financeira fez também cortes nas taxas de administração de alguns de seus fundos de investimentos. Para se ter uma ideia no tamanho da mudança, para quem usa o cheque especial (Pessoa Física) a taxa mensal máxima recuou de 8,9% para 4,7%.

Leia também: Poupança continua atrativa mesmo com novas regras de rendimento

As linhas de crédito estão com juros menores (Foto: Divulgação)

Já no rotativo de cartões de crédito, a taxa máxima também registrou queda para 4,7%, o mesmo teto que será aplicado no uso do limite de crédito pessoal. As condições valem para clientes que aderirem a um pacote de serviços do Santander. Poderão aderir as novas taxas de juros para os cliente da Conta Fácil, disponível aos que recebem seus salários em contas correntes no Bradesco e para novos clientes do banco. As linhas de consignado para aposentados também sofreram baixas, sendo que terão taxas máximas de juros de 2,10%.

Leia também: Saiba como aproveitar os cortes das taxas de juros

O Primeiro banco a derrubar os encargos e juros foi o BB (Banco do Brasil), depois foi a vez da Caixa Econômica Federal. Em seguida, para não perder clientes, mais bancos começaram a anunciar facilidades no financiamento de carros e demais linhas de crédito. Para se aperfeiçoar e conquistar mais consumidores de seus serviços, as instituições financeiras vêm abaixando ainda mais os juros.

Top