Aprenda a comprar sem se endividar

Você é uma consumidora assumida? Quando se aborrece, você se refugia em lojas? Nunca resiste a palavra “liquidação”? Não questiona o custo de nada…

Imagem: (Foto Divulgação)

Você é uma consumidora assumida? Quando se aborrece, você se refugia em lojas? Nunca resiste a palavra “liquidação”? Não questiona o custo de nada antes de ir para o provador? Confira algumas dicas a seguir e aprenda a satisfazer seus desejos de consumo, sem comprometer sua saúde financeira!

Não use compras como terapia

É comum muitas mulheres correr para as lojas quando algo não vai  bem. Elas são tão experientes na prática que, se o coração palpita por uma saia, um sandália ou um vestido caríssimo, o pretexto logo surge na ponta da língua: “É um investimento, vou usar a vida inteira”. Conversa! “Roupas e acessórios não são investimento, são gasto”, diz a consultora financeira Sandra Blanco. É preciso compreender que compras não ajudam a superar as frustrações, moderar o estresse ou destruir as tristezas.

Questione o preço de roupas antes de experimentar

É mais difícil resistir a algo que já foi experimentado, não é? É por isso que a vendedora da loja corre para te levar para o provador. A saída para essa técnica, é questionar o valor logo de cara, e se for o caso, afastar da perdição antes mesmo de vê-la de perto. “Se o valor não cabe no seu orçamento, é como se não tivesse o modelo de que gostou no seu número. Busque uma alternativa”, diz Modernell.

Não tome os desejos de amigas como seus

Outra armadilha para você gastar sem precisar é o entusiasmo da amiga e companheira de “investimentos”. “Não acredito que não vai levar estas sandálias ‘maravilhosas’. Se não for, eu é que vou”. Será que o modelo não se ajusta mais a ela? Pense e, se for o caso, passe a vez.

Continuar Lendo  Aplicações Rentáveis, Dicas de Investimentos

Não se deixe enfeitiçar por palavras mágicas

Promoção! Liquidação! Queima de estoque! É espantoso a decorrência dessas expressões sobre as mulheres. Comprar barato é ótimo. Mas custar menos não quer dizer que você deve comprar. Em liquidações, valem as mesmas regras: só compre o que for necessário ou gostou muito e combina com seu estilo. E lembre-se: Analise se o produto cabe em seu orçamento, pois, nem sempre uma oferta garante isso.

Entenda que cartões de crédito não elevam seu poder de compra

Não importa se possui um, dois, três ou nenhum. O limite de quanto você pode gastar em compras não aumenta. A questão é que cartões de crédito formam uma ilusão. Como não é dinheiro vivo que se está utilizando, a sensação é que não se gastou nada, e dá para comprar mais coisas. Conclusão: as pessoas acabam passando dos limites. E o mundo da fantasia acaba quando as faturas chegam.

Estabeleça um limite

Antes de sair de casa para procurar um sapato que está precisando, fuçar vitrines e aproveitar uma promoção, estabeleça um valor máximo de quanto pode gastar. E lembre-se: o desafio é não ultrapassá-lo.

Top