Rubéola na gravidez – perigos

Durante a gestação é necessário existir uma maior consciência em relação a prevenção contra a rubéola. Esta infecção é responsável por ocasionar graves malformações…

A Rubéola na gravidez pode acarretar diversos problemas ao bebê.

Durante a gestação é necessário existir uma maior consciência em relação a prevenção contra a rubéola. Esta infecção é responsável por ocasionar graves malformações no bebê recém-nascido, ou até mesmo leva-lo a morte. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), comprovam que a rubéola congênita (adquirida durante a gestação) é responsável por cerca de 700.000 óbitos por ano no mundo.

Um pouco de história

A rubéola transmitida da mãe para o feto recebe o nome de Síndrome da Rubéola Congênita e foi descoberta pela primeira vez, em 1941 na Austrália. A infecção pode ocorrer durante toda a gestação, porém é mais grave quando a grávida a adquire no primeiro trimestre. Nesse período, a infecção pode causar aborto, morte fetal, parto prematuro e malformações congênitas.

Agente causador

A rubéola é uma doença infecciosa de transmissão respiratória. O agente causador é um vírus que leva o mesmo nome da doença, rubéola. A maioria das pessoas infectadas podem apresentar manifestações amenas ou mesmo não apresentar nenhum um tipo de sinais e sintomas.

Por ser transmitida pelas vias aéreas, a rubéola pode ser confundida, muitas vezes,  com um resfriado comum, sendo os principais sintomas muito parecidos:

  • Febre baixa;
  • Coriza;
  • Conjuntivite;
  • Tosse;
  • Dores nas articulações.

Cuide da saúde do seu bebê, antes mesmo dele nascer.

Síndrome da Rubéola Congênita

Embora a doença seja inofensiva para a mulher não gestante, pode, por outro lado, se transformar em grande perigo quando a mulher encontra-se grávida. Ao invadir o organismo, o vírus é capaz de provocar uma revolução e prejudicar o desenvolvimento do feto, principalmente se o problema se manifestar, como já foi mencionado, no primeiro trimestre da gestação, quando o embrião está se fixando no útero. As malformações que podem ser causadas são:

  • Comprometimento ocular como catarata, glaucoma, microoftalmia;
  • Surdez parcial ou total;
  • Em relação ao aparelho cárdico: persistência do canal arterial, defeitos no septo;
  • Acometimento do sistema nervoso central: retardo mental, microcefalia.
Leia Também:  Unhas com sombra em pó: como fazer, passo a passo

Em alguns casos, a criança pode manifestar diabetes mellitus, a qual pode surgir em torno de dois a quatro anos após o nascimento.

Prevenção

Se você deseja engravidar, o melhor a se fazer é realizar a vacinação contra a rubéola, pelo menos três meses antes. Essa atitude impede que ocorra a infecção durante a gravidez, assim como suas consequentes malformações. Porém, caso a gravidez não tenha sido planejada, o que ajudará você e seu bebê a ficarem livres de graves problemas é a realização de um pré-natal adequado e seguro.

Top