Primeira Escola Sustentável do Brasil

A Escola Estadual Erich Walter Heine, no Rio de Janeiro, é a primeira escola sustentável do Brasil. Além disso, é a primeira da América…

A Escola Estadual Erich Walter Heine, no Rio de Janeiro, é a primeira escola sustentável do Brasil. Além disso, é a primeira da América Latina a receber o certificado LEED Schools (Leadership in Energy and Environmental Design – Liderança em Energia e Design Ambiental), do Green Building Council, conselho de edificações verdes. Só nos Estados Unidos estão concentradas 118 construções desse tipo. Com a Escola no Rio de Janeiro e construções em Noruega e Bali, somam 121 escolas certificadas pelo conselho em todo o mundo. É uma inciativa extremamente interessante e consciente. A escola consome cerca de 80% menos energia, usando de recursos simples e que fazem toda a diferença.

A primeira escola sustentável do Brasil foi inaugurada em maio desse ano. A sustentabilidade começou ainda na construção, pois houve um reaproveitamento de 100% do material de entulho gerado durante a obra. É uma escola pública, mas por todo o seu mérito, está sendo altamente disputada por alunos de todas as idades. Estudar em uma instituição como essa é um ponto a mais na vida profissional, além de conviver diariamente com ações que podem mudar o mundo em que vivemos.

São inúmeras características que a torna uma escola sustentável. Entre elas, podemos citar a capitação da água das chuvas. Essa água capitada é usada nas descargas, nos jardins e na limpeza do local. A economia chega a 50% da água potável disponível. A coleta seletiva de lixo é uma das mais básicas características e que já está presente em diferentes estabelecimentos pelo país. É importante haver recipientes separadas para cada tipo de material. E também é preciso que haja a consciência de cada um jogar o material no lugar adequado. Por esse motivo, é que a escola Erich Walter Heine também conta com um trabalho pesado de conscientização dos alunos, preservando a escola e passando a ideologia de sustentabilidade.

Leia Também:  Coca-Cola lança kit que reutiliza garrafas

O prédio ainda conta com:

– Painéis solares para geração de energia limpa. A energia é gerada através da luz solar. Há também a Iluminação econômica, que é toda feita com lâmpadas LED, o que reduz em até 80% o consumo de energia;

– Uso de “telhado verde”. Essa é uma nova sensação na arquitetura sustentável que vem dando o que falar. É um telhado com vegetação que absorve calor (deixando o ambiente com temperatura mais amena, principalmente nos dias mais frios), além de melhorar o escoamento de água da chuva;

– Vagas especiais para veículos com baixa emissão de poluentes, como um bicicletário.

– Tratamento acústico nas salas de aula, corredores e ambientes internos próximos às salas, e muito mais.

A escola sustentável no Rio de Janeiro deixa o Brasil ainda mais influente em relação às questões ambientais. O país vem buscando formas de trabalhar de uma maneira sustentável. O etanol da cana de açúcar é um dos tesouros brasileiros. É um biocombustível que já vem sendo usado há alguns anos. É uma matéria-prima limpa e renovável. Iniciativas que buscam melhorar a eficiência e economia das construções preservando o meio ambiente, como a escola Erich Walter Heine, são sempre bem-vindas.

 

 

 

 

 

 

 

Top