Pressão baixa: perigos

A baixa pressão arterial é uma característica de muitas pessoas, especialmente mulheres, e que não representa necessariamente um problema de saúde. Em algumas situações…

Por Editorial MDT em 09/03/2013

A baixa pressão arterial é uma característica de muitas pessoas, especialmente mulheres, e que não representa necessariamente um problema de saúde. Em algumas situações específicas, como nos casos de pacientes acometidos por doenças graves, a diminuição da pressão arterial pode significar o agravamento do quadro clínico. Fique por dentro do assunto e conheça os perigos da pressão baixa.

Saiba mais sobre a hipotensão e confira alguns cuidados que devem ser tomados.

Sintomas como tontura repentina e passageira podem indicar queda da pressão arterial. (Foto: divulgação)

Pressão baixa pode indicar saúde

As queixas de queda da pressão, como tonturas esporádicas, hipotensão postural, sudorese fria e mal estar são frequentes e, diferente do que a maioria das pessoas pensa, a quase totalidade dos pacientes com esse tipo de queixa gozam de plena saúde física. Na realidade, possuir níveis pressóricos mais baixos pode ser um indicativo de saúde, pois além do menor risco de lesão endotelial, os estudos relacionam esse estado à maior longevidade.

Quando é considerada hipotensão

Atualmente considera-se como pressão sanguínea ideal para adultos o valor de 110 mm Hg para a pressão sistólica e 70mm Hg para a diastólica, dita popularmente como “11 por 7 de pressão”. Há pouco tempo esse valor era de 120/80 mm Hg e foi alterado devido aos estudos mais recentes, que indicam que níveis pressóricos inferiores são vasoprotetores.

A pressão baixa é considerada quando o valor da máxima está abaixo de 90mm Hg. É preciso destacar que não é difícil encontrar pessoas completamente sadias e assintomáticas e que eventualmente podem apresentar níveis pressóricos até menores do que este. Geralmente o indivíduo que é capaz de manter a pressão estável costuma não apresentar queixas, enquanto que pessoas que apresentam picos hipotensivos são as que habitualmente apresentam sintomas.

A hipotensão é considerada quando o maior nível pressórico não ultrapassa 90mmHg. (Foto: divulgação)

Perigos da pressão baixa

Em situações específicas de doenças mais graves a hipotensão pode representar um importante sinal clínico, capaz de resultar em lesões de órgãos por baixa perfusão sanguínea e até mesmo ser fatal. Essa situação é denominada de “choque”, e se dá pela incapacidade de fluxo sanguíneo arterial em nutrir os tecidos corporais. Geralmente costuma ser decorrente de problemas como:

  • Hemorragias extensas;
  • Reações alérgicas (medicamentosa ou alimentar);
  • Envenenamento;
  • Acidente com animais peçonhentos;
  • Desidratação;
  • Hemorragias internas;
  • Trauma crânioencefálico;
  • Queimaduras extensas e profundas;
  • Doenças da glândula suprarrenal;
  • Doenças cardíacas;
  • Doenças pulmonares

Entenda como tratar a pressão alta.

A desidratação é uma das causas de hipotensão que pode ser facilmente resolvida. (Foto: divulgação)

Não é preciso que pessoas saudáveis com pressão arterial baixa fiquem preocupadas, pois os portadores desse tipo de problema normalmente não são pacientes ambulatoriais, sendo que seu estado de gravidade geralmente pode ser percebido com facilidade, até mesmo por pessoas menos experientes. Os casos graves costumam acompanhar outros sintomas, como suor frio e abundante, taquicardia, perda da consciência, dispneia e anúria.

Top