Pré-eclâmpsia: o que é

A pré-eclâmpsia é uma doença que pode acometer as gestantes e que tem início em torno da 20° semana de gestação. Essa doença apresenta…

A pré-eclâmpsia é uma doença que pode acometer as gestantes e que tem início em torno da 20° semana de gestação. Essa doença apresenta como manifestação a pressão alta, associada ao aparecimento de proteína na urina. E que, quando não devidamente diagnosticada e tratada, pode ocasionar diversos problemas tanto para a mulher, quanto para o bebê gerado. Tendo isso em vista, separamos algumas informações sobre o que é a pré-eclâmpsia.

Saiba como evitar as complicações na gravidez.

Algumas gestantes apresnetam o aumento da pressão arterial, necessitando de cuidados especiais. (Foto: divulgação)

Saiba mais sobre a pré-eclâmpsia

Como foi dito anteriormente, a pré-eclâmpsia é um problema que acomete a gestante e que costuma aparecer em torno da 20° semana de gestação. Para que a gestante seja diagnosticada com o problema, ela deve apresentar pressão arterial elevada, associada à presença de proteína na urina. Em geral, a doença é diagnosticada durante a realização do pré-natal, justificando a importância da sua realização para ter uma gestação tranquila e saudável.

Conheça as causas relacionadas à pré-eclâmpsia

Até o momento, a causa exata da pré-eclâmpsia ainda é desconhecida. No entanto, especialistas associam o problema as seguintes causas:

  • Doenças autoimunes;
  • Problemas nos vasos sanguíneos;
  • Dieta;
  • Alteração genética.

Além disso, alguns fatores de risco também estão relacionados a sua manifestação, sendo eles:

  • Primeira gestação;
  • Gestação de gêmeos;
  • Obesidade;
  • Idade superior a 35 anos;
  • História de gestação anterior com pré-eclâmpsia.

    A pré-eclâmpsia pode manifestar problemas tanto à gestante, quanto ao bebê gerado. (Foto: divulgação)

Saiba como diagnosticar a pré-eclâmpsia

Quando o médico especialista suspeita de que a gestante está com pré-eclâmpsia, ele poderá solicitar alguns exames laboratoriais, após a realização do exame físico da paciente. Entre eles podemos citar:

  • Exame de urina;
  • Avaliação das enzimas hepáticas;
  • Contagem de plaquetas.
Leia Também:  Fraldas Pampers - preços

Além disso, o médico poderá avaliar a avaliação do bem-estar fetal, incluindo:

  • Ultrassonografia da gravidez;
  • Perfil biofísico;
  • Cardiotocografia.

Após a avaliação materna e fetal, incluindo a avaliação dos testes, o médico decidirá se é necessário intervir, realizando o parto do bebê com antecedência.

Saiba reconhecer os sintomas da pré-eclâmpsia

Na maioria das vezes, as gestantes diagnosticadas com pré-eclâmpsia não apresentam sintomas. No entanto, elas podem apresentar:

  • Inchaço nas mãos e no rosto;
  • Ganho superior a um quilo por semana;
  • Ganho de peso súbito em um ou dois dias.

Quando a mulher apresenta pré-eclâmpsia mais grave, ela pode manifestar:

  • Dor de cabeça constante;
  • Dor abdominal, em especial, no lado direito, abaixo das costelas;
  • Diminuição da quantidade de urina;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Alteração visual, como perda temporária da visão, sensação de luzes piscando e sensibilidade à luz.

    É muito importante que a gestante realize o pré-natal, de modo a prevenir qualquer problema futuro. (Foto: divulgação)

É muito importante que a gestante realize um acompanhamento com o médico especialista, de forma a evitar futuras consequências. Através do pré-natal é possível diagnosticar qualquer problema que possa surgir durante a gestação, incluindo a pré-eclâmpsia.

Conheça algumas curiosidades sobre a gravidez.

Top