Policia Federal já prendeu 35 pessoas por tráfico internacional de drogas na Operação Semilla

Começa nesta quinta-feira (27) o cumprimento de prisão temporária de busca e apreensão em sete estados brasileiros sob responsabilidade da Polícia Federal para desarticular…

Por Redacao em 27/10/2011

Começa nesta quinta-feira (27) o cumprimento de prisão temporária de busca e apreensão em sete estados brasileiros sob responsabilidade da Polícia Federal para desarticular uma quadrilha de nível internacional que atua no tráfico de drogas.

Segundo a PF, o bando é formado por brasileiros, sul-americanos e europeus. Eles traziam cocaína da Bolívia e maconha do Paraguai para o Brasil, em seguida as drogas eram destinadas para a Europa e África, além de uma parte permanecer no país para mercado interno.

A Operação de nome Semilla, em decorrência dos traficantes chamarem as drogas de sementes, que em espanhol se chamam “semilla”, deve cumprir 54 mandatos de prisão temporária e 59 mandatos de busca e apreensão nos estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Paraná, Mato Grosso, Ceará e Goiás. São 230 policiais federais trabalhando na operação, dos quais 150 atuam em São Paulo.

Os crimes estão sendo investigados há um ano. Desde o início da investigação, 70 pessoas foram presas em flagrante por tráfico de drogas, das quais uma é suspeita de fazer parte da máfia calabresa, na Itália. Além das prisões, foram apreendidos 4.327 quilos de cocaína, 5.210 quilos de maconha, armas, munições, 48 veículos e até mesmo uma aeronave. A quadrilha também mantinha um laboratório de refino de cocaína em Barueri, em São Paulo, o qual já foi desativado.

A manhã de hoje foi um sucesso para operação, que já teve como resultado a prisão de 35 pessoas, apreensão de 68 mil reais, 15 veículos, 20 imóveis e uma aeronave, além de bloquear as contas bancárias dos investigados.

Todos as pessoas envolvidas responderão por tráfico de drogas, associação para o tráfico e financiamento da prática do crime de tráfico transnacional. Pode ser acrescido de 1/6 a 2/3 da pena por se tratar de tráfico internacional.

Top