Pílula anticoncepcional: restrições

☰ CONTEÚDODefiniçãoComo utilizar?Efetividade Diminuição da eficiênciaReações adversasRestrições Definição A pílula anticoncepcional nada mais é do que uma combinação dos hormônios estrogênio e progesterona. Ela…

A forma de anticoncepção mais utilizada é a pílula hormonal.

Definição

A pílula anticoncepcional nada mais é do que uma combinação dos hormônios estrogênio e progesterona. Ela é utilizada via oral e tem como principal função prevenir a gravidez. Após estudos, ficou comprovado que mais de 100 milhões de pessoas em todo o mundo fazem uso desse método contraceptivo.

Como utilizar?

A pílula anticoncepcional deve ser tomada todo dia no mesmo horário. Caso seja esquecida por um tempo superior a 12 horas, sua efetividade cai bastante. Dependendo da marca usada, o tempo para o tratamento é variado.

Algumas embalagens possuem 21 pílulas, sendo que apenas uma é consumida diariamente, por 3 semanas. Após esse período para-se de tomar o medicamento por uma semana. Já no caso das embalagens com 28 pílulas, 21 delas são tomadas, seguidas por uma semana de pílulas placebo para manter o hábito de ingerir as pílulas diariamente. É importante ressaltar que na semana que se para de tomar a pílula anticoncepcional, deverá ocorrer o sangramento, devido a descamação da parede uterina.

Efetividade

A eficiência da pílula anticoncepcional, assim como de todos os métodos anticoncepcionais, poderá apresentar dois padrões de utilização:

  • Uso perfeito – inclui as mulheres que usam corretamente a pílula e de maneira consistente;
  • Uso típico – inclui mulheres que fazem uso do medicamento, porém de forma incorreta.

A pílula deve ser tomada diariamente.

Diminuição da eficiência

Em alguns casos, a eficiência da pílula anticoncepcional pode ser diminuída, são elas:

  • Esquecer de tomar de tomar a pílula anticoncepcional nos dias corretos;
  • Ocorrer atraso em tomas as pílulas anticoncepcionais;
  • Mal absorção pelo trato gastro intestinal devido a vômitos e diarreia;
  • Interação com outros medicamentos – citaremos alguns medicamentos que podem ocasionar interação:
    • Rifampicina;
    • Barbitúricos;
    • Fenitoína;
    • Carbamazepina;
    • Ampicilina;
    • Doxicilina.
Leia Também:  Pílula anticoncepcional: benefícios

Reações adversas

Como qualquer outro medicamento, as pílulas anticoncepcionais também podem apresentar alguns efeitos adversos como:

  • Ganho de peso;
  • Diminuição da libido;
  • Diminuição da lubrificação vaginal;
  • Pode piorar os quadros depressivos;
  • Dor nas mamas;
  • Corrimento vaginal;
  • Redução do fluxo menstrual;
  • Aumento no tamanho dos seios.

Restrições

Antes de iniciar o uso da pílula anticoncepcional, é preciso procurar um atendimento médico especializado e questionar quanto a possibilidade ou não de iniciar com esse tipo de método contraceptivo. Isto por apresentar uma quantidade razoável de contraindicações como, por exemplo:

  • Distúrbios de coagulação;
  • Pessoas com história de trombose venosa;
  • Histórico de embolia pulmonar;
  • Histórico de derrame;
  • Histórico de doenças do coração;
  • Obesidade severa;
  • Fumantes;
  • Altos níveis de colesterol;
  • Idade superior a 35 anos de idade.

Esse medicamento é um dos métodos mais seguros para evitar gravidez.

Atualmente, o método contraceptivo mais utilizado para contracepção pelas mulheres é a cartela de pílulas anticoncepcionais. Porém, para que elas garantam eficácia total, é preciso utilizá-las da maneira correta. Siga as orientações que seu médico der a respeito do medicamento, só assim conseguirá os benefícios do medicamento.

Top