Para que serve o Benchmark?

PUBLICIDADE

Utilizado como referência em no mercado, o Benchmark é uma ferramenta extremamente efetiva para empresários que buscam novidades para seu negócio, seja na parte financeira ou administrativa.

Ainda assim, muitos desconhecem o conceito e como ele funciona. E aqui te explicamos melhor a importância e referência do Benchmark e como o mesmo pode ser usado.

O que é Benchmark?

O Benchmark é um conceito para comparar diversos ativos, processos, mecanismos e outros fatores corporativos. É um índice de referência para fazer comparações e, com os estudos necessários, realizar escolhas com base no que foi apresentado.

PUBLICIDADE
O que é Benchmark
Fonte/Reprodução: original

Alguns dos fatores a serem considerados no benchmark são a rentabilidade, risco e, obviamente, o retorno que um determinado processo pode oferecer.

Qual a função do Benchmark?

Usando um exemplo, digamos que você tem uma empresa e deseja realizar um investimento. Através do benchmark, você pode ter opções e fazer comparativos utilizando a referência apresentada para tomar a melhor decisão de onde investir.

Ainda com o benchmark, tanto o investidor quanto os seus clientes estarão mais a par de onde seu capital está sendo utilizado, com os riscos, lucros e rentabilidade disponíveis na referência mostrada.

Qual a diferença entre Benchmark ou Benchmarking?

Embora sejam termos com pronúncia similar, benchmark e benchmarking são conceitos completamente diferentes. Enquanto o primeiro está mais focado na parte de investimento, o segundo consiste mais em ações internas, com sendo identificadas possíveis ações e projetos a serem tomados internamente em uma empresa.

PUBLICIDADE

O que significa o Benchmark em investimentos?

Utilizando a estratégia de benchmark, muitos empresários usam essa referência para destinar seus investimentos para as melhores escolhas e opções para sua empresa ou companhia.

O que significa o Benchmark em investimentos
Fonte/Reprodução: original

Dessa maneira, existem dois focos de benchmark em investimentos, o chamado benchmark financeiro. O primeiro tem foco na comparação entre aplicações na renda fixa e suas performances, enquanto o segundo tem foco maior na renda variável.

Quais Benchmark são utilizados para Renda Fixa e Renda Variável?

Atualmente, no Brasil são utilizados como referência cerca de cinco tipos de benchmark:

  • CDI: Tarifa de juros que recai sobre as operações entre instituições;
  • Taxa Selic: Taxa básica de juros, equivalente à tarifa livre de riscos a economia;
  • Ibovespa: Um dos principais benchmarks para renda variável, ele indica a performance de ativos na bolsa de valores, podendo ser separado em outros índices;
  • Inflação: O aumento constante de preços numa economia e a perda de valor da moeda neste tempo;
  • Taxa de câmbio: Tarifa que tem como base o cálculo diário feito pelo Banco Central, utilizada para investimentos que usam a moeda como base.

Sabendo como o Benchmark financeiro funciona e quais os seus tipos, fica mais fácil para você planejar e começar a investir sem medo.

Como funciona o Benchmark?

Voltando ao exemplo citado anteriormente, caso você tenha um capital que deseja investir. A partir disso, inicia-se o processo de benchmark, onde é necessário avaliar diversos fatores antes de realizar o investimento.

PUBLICIDADE

A princípio, é importante avaliar a referência, como o tipo de investimento a ser feito, seu risco no mercado atual, e a rentabilidade da mesma. Tendo esses três pontos como base, o investidor também pode comparar outras opções disponíveis para investir.

Assim como para iniciar, o benchmark também serve para avaliar se um valor investido teve um retorno favorável ou não, utilizando o mesmo com referência para comparar com outros retornos e, se preferir, procurar por novas estratégias.

É importante que, durante um benchmark, o investidor saiba separar qual tipo será utilizado, desse modo não misturando algo que é direcionado para renda fixa com uma referência para renda variável, afinal, ambos os mercados apresentam situações completamente diferentes.

Além destes pontos, o investidor deve sempre ter em consideração que o benchmark a ser utilizado como referência seja adequado e estimável ao valor que ele deseja utilizar, para não passar por futuros problemas em outra ocasião, ou até mesmo para não se perder em futuros benchmarks onde esse investimento será a referência.

Leia também:

Comentários fechados

Os comentários desse post foram encerrados.